Pedogênese

A Terra como conhecemos hoje, nada mais é do que um conjunto de mudanças em todos esses anos. O solo, parte superficial da crosta…


A Terra como conhecemos hoje, nada mais é do que um conjunto de mudanças em todos esses anos. O solo, parte superficial da crosta terrestre, é um exemplo dessas alterações que ocorreram no Planeta até a sua formatação como se encontra agora.

Fruto da degradação das rochas e de material orgânico de origem vegetal ou animal, a formação de origem do solo recebe o nome de Pedogênese.

O que é Pedogênese?

A pedogênese está diretamente ligada à pedologoia, ciência responsável pelo estudo das pedras, elementos esses que ao serem passados por processos de erosão dão origem aos diferentes tipos de solo.

A formação dos solos acontece através de dois mecanismos, são eles: Intemperismos físicos e intemperismos químicos. Em ambos os processos as rochas sofrem uma decomposição, transformando-se em partículas cada vez menores. Os responsáveis por essas etapas de modificação se diferenciam somente pelos agentes transformadores.

É importante entender a pedogênese, pois os solos têm um papel fundamental na vida humana. Sendo por vezes, a forma de sustento de algumas pessoas, e mais do que isso, local de moradia de diversos seres na Terra.

Intemperismo Físico

Formação dos solos ocorre através dos intemperismos físicos e químicos

Foto: Pixabay

Processo pelo qual as rochas vão se desfazer por agentes como temperatura e pressão. Este tipo de procedimento tendem a acontecer em regiões onde o clima é mais quente, como por exemplo na área semiárida do Sertão pernambucano.

O calor e a pressão, isto é, o peso de algumas camadas sobre a rocha, são considerados os agentes modificadores no intemperismo físico. Uma característica destes solos é o fato deles serem mais jovens e por essa razão menos profundos.

Intemperismo Químico

Nas áreas mais úmidas prevalece o intemperismo químico, sendo assim, o maior responsável que caracteriza esse processamento é a água e seus diferentes estados, como o vapor e o gelo. Nas regiões mais frias, onde tendem a chover mais as reações químicas desenvolvem-se melhor.

As regiões onde pode-se encontrar solos formados através destes procedimentos, pensando à respeito do território brasileiro, são nas áreas litorâneas ou até mesmo na Amazônia. Características destes solos se dão pela profundidade, uma vez que eles são bem mais largos e bem feitos.

Os tipos de solo

Corpo vital importante para os seres vivos, o tipo de solo está relacionado a quantidade de horizontes, isto é, camadas que o mesmo possui na sua estrutura. O conjunto de horizontes é chamado de perfil. Ao cortar a estrutura do solo, pode-se observar que existem diversas camadas, as quais tendem a ter características diferentes.

Por exemplo, em um caso hipotético, um tipo de solo tem cinco horizontes, veja como estaria definido cada um deles.

  • Horizonte O: Camada de organismos, que é dividida em duas. Na parte mais superficial é encontrada materiais orgânicos, como por exemplo folhas e animais mortos. Na outra porção estão os húmus, todo material já descomposto que torna o solo fértil. Então, quanto maior a quantidade de húmus, mais apropriado o solo é para o plantio.
  • Horizonte A: Região muito transformada, pois ainda recebe muita influência do meio externo e dos microorganismos da camada O.
  • Horizonte B: Usado para o estudo do solo, é considerado a parcela mais pura de todo o perfil, pois é a degradação propriamente dita e que não sofre mais com nenhum tipo de intemperismo.
  • Horizonte C: Também conhecido como saprolito, é o horizonte intermediário, pois está entre o solo e a rocha. Chama-o de rocha podre pelo fato de parecer duro, mas por estar em processo de decomposição se desmancha facilmente.

Outros agentes transformadores do solo

Além da temperatura, pressão e dos diferentes estados da água, outros agentes contribuem para a degradação das rochas e assim na origem de novos tipo de solo, são eles: relevo e o tempo cronológico.

  • Relevo: Este agente auxilia no processo de entrega das águas da chuva, além dos raios solares, que proporciona mais intensidades de calor e de luz. Se por alguma razão o relevo for desigual, a distribuição do líquido será feito de forma diferente, atingindo mais áreas baixas e côncavas do que em regiões com maior declive.
  • Tempo cronológico: O tempo de exposição do solo à atmosfera determina a maturidade do mesmo. Os solos mais velhos, em geral, são mais profundos que os solos mais novos.

Reportar erro