A obra de Teilhard de Chardin

Saiba quem foi Teilhard de Chardin e conheça suas principais obras. Descubra quais eram os seus pensamentos e como uniu a ciência e a religião em um


Pierre de Teilhard de Chardin nasceu no dia 1° de Maio de 1881 na França, na comuna de Orcines. Em sua época, o jesuíta, filósofo e paleontólogo tentou realizar um feito impossível para o momento, e atualmente difícil de concretizar: conciliar as visões científica e teológica.

Isso fez com que fosse incompreendido e com que sofresse com a intolerância tanto no âmbito religioso quanto no âmbito científico. Isso porque nenhuma das partes se via com bons olhos, muito menos aos escritos de Chardin, que era acusado de defender um ponto de vista místico pela ciência, e era impedido de dar aulas e lançar seus trabalhos pela igreja.

Desde muito cedo demonstrou interesse pela geologia, mas encontrou um mestre que o convenceu de que o serviço à Deus pode ser o amor às pedras. Participou da primeira descoberta da existência do homem pré-histórico e escreveu obras belíssimas, como “A Missa sobre o Mundo”.

A obra de Teilhard de Chardin

Foto: Reprodução/ internet

Obras

Entre suas obras mais conhecidas estão “A Missa sobre o Mundo”, “O meio divino”, “O fenômeno humano”, “O coração da matéria”, entre outros.

Espiritualidade

Sua espiritualidade foi constituída por ensinamentos de Inácio de Loyola, mas o núcleo de sua teologia era definido com o encontro com a mística, desenvolvida por Paulo de Tarso. Nesse discurso, no entanto, desenvolve seu próprio mistério cristão.

Teilhard percorreu uma trilha bastante árdua que passava por referências teológicas que eram instrumento para enfrentar o território pós-moderno em sua busca por Deus. Tinha a ciência clara de que a construção de um metacristianismo era necessária para cumprir seu papel nos esforços para a preservação do planeta e do ser humano.

Ciência

A ciência lhe proporcionava, por meio da sua formação no campo da geopalenteologia, a compreensão do desenvolvimento planetário e da humanidade. Para ele, a evolução era um processo que se desenrolava desde o estágio caótico do Universo, até o surgimento da consciência humana, precedendo a Noogênese – o momento em que todos os pensamentos irradiados por uma mente humana desenvolvida constituirão uma tessitura inteligente única. A Terra terá um estrato a mais, que será chamado de Noosfera.

Para o cientista, existe um o fio condutor interior à matéria, responsável por conduzir esse mecanismo evolutivo chamado Ponto Ômega.

Seu pensamento, portanto, pode ser considerado panenteísta: ele crê em todos os cosmos abrigados em Deus, mas a divindade transcende tudo que engloba.

Teoria

Sua teoria é elaborada no ponto em que o ancestral cosmologismo e a concepção contemporânea de fenômeno se englobam: o Universo de Galileu se mostra a todos aqueles que querem desvendá-lo, mas não sem que haja a contribuição do pensamento científico na modernidade.

A morte

A morte de Pierre Teilhard de Chardin, no ano de 1955, trouxe alívio para muitos. O seu cérebro cheio de ideias e raciocínios causavam medo e insegurança por trazer informação.

Sua obra foi editada após a sua morte e, na década de 1960, trouxe uma repercussão inesperada, permanecendo durante meses nas listas de best sellers dos Estados Unidos e da Europa.


Reportar erro