A órbita de todo planeta é uma elipse

Em 1609, Johannes Kepler afirmou que a órbita de todo planeta é uma elipse e que uma linha unindo um planeta ao sol percorre áreas iguais.


Em 1609, o matemático e astrólogo Johannes Kepler escreveu uma de suas tantas obras, a Nova Astronomia. Nela, o autor desenvolveu duas leis de movimentos planetários até então desconhecidos na época. Eram elas: a órbita de todo planeta é uma elipse e que uma linha unindo um planeta ao sol percorre áreas iguais.

A descoberta de Kepler teve influência nos estudos Tycho Brahe, e contrariava as ideias de Nicolau Copérnico, que mesmo com algumas irregularidades em seus trabalhos muito contribuiu para o modelo universal heliocêntrico. Neste artigo você irá compreender melhor as afirmações de Johannes e como ele conseguiu chegar a essas conclusões.

A órbita de todo planeta é uma elipse

Foto: Pixabay

Estudos anteriores

Ptolomeu de Alexandria, em 150 d.C., dizia que a Terra era o centro do universo e que o sol, a lua e os demais planetas giram em torno do seu eixo em órbitas circulares fixadas em esferas celestes. Esse tipo de conhecimento era fundamentado no geocentrismo.

Já no século XVI Nicolau Copérnico descobriu que na verdade, o Sol era o centro do universo e a Terra e os demais corpos celestes giravam em torno desse astro. Porém, ele ainda acreditava os elementos ficam fixados em órbitas cristalinas fixadas no universo. Para afirmar isso, uma série de irregularidades foram introduzidas ao seu estudo. Apesar disso, foi uma importante contribuição para a ciência.

Na segunda metade do século XVI, Tycho Brahe lançou estudos correspondentes a esse assunto. E foi através deles que Kepler conseguiu produzir seus conceitos e comprová-los.

Nova Astronomia: uma visão inovadora sobre o universo

Com base nos estudos de Brahe, o matemático e astrólogo Johannes Kepler conseguiu elaborar novas perspectivas sobre o espaço e seus corpos celestes. O estudioso conseguiu provar que o sistema solar não é formado por circunferências perfeitas, mas sim “ovais”, semelhantes a forma elíptica. E que o sol está no centro, em um ponto chamado foco da elipse.

Além disso, nesta mesma obra, o autor provou que quanto mais próximo um planeta está do sol, mais rápido ele se movimenta. De acordo com Kepler, todos os planetas do sistema solar possuem órbitas elípticas, isso por que suas excentricidades são maiores que 0. Veja as definições a seguir e conheça outras nomenclaturas:

e = 0 : Circular

0 < e < 1 : Elíptica

e =1 : parabólica

e > 1 : radial hiperbólica

Esses nomes são dados levando em consideração a excentricidade das circunferências, que nada mais é que o parâmetro que mede o desvio em relação aos círculos.


Reportar erro