A saída do Reino Unido da União Europeia

Esclareça dúvidas sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, tais como: o que isso significa? a quem atinge? Por que essa separação aconteceu?


Um plebiscito popular votado pela população inglesa decidiu algo histórico e inédito: a saída do Reino Unido da União Europeia. Depois de 43 anos, 51,89% dos britânicos votaram pelo rompimento do bloco político-econômico europeu.

Qual a diferença entre Reino Unido e União Europeia?

O Reino Unido é a soma da Grã-Bretanha (Inglaterra, Escócia e Países de Gala) com a Irlanda. É liderado pela Inglaterra e possui a família real inglesa como chefe de estado e o primeiro-ministro britânico como líder de governo.

A União Europeia (UE) é um bloco econômico, político e social que engloba 28 países europeus: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos (Holanda), Polônia, Portugal, Reino Unido (que ainda permanece no bloco), República Tcheca, Romênia e Suécia.

O que significa a saída do Reino Unido da União Europeia?

O Reino Unido não fará mais parte de nenhum tratado com a União Europeia, deve deixar de aceitar imigrantes que portam o passaporte para a UE e irá rever os acordos e contratados até hoje firmados.

Quais são as consequências desse rompimento?

Como isso é algo inédito na história, nunca antes um país havia deixado o acordo, o futuro ainda é muito incerto. Mas, o mais esperado, é que a saída do Reino Unido enfraqueça a União Europeia enquanto bloco econômico, visto que o Reino Unido é uma das economias mais fortes e sólidas de toda a Europa.

Para o resto do mundo a União Europeia ficará menos atraente e perderá investimentos e negócios.

A saída do Reino Unido da União Europeia

Ilustração: Depositphotos

Por que o Reino Unido quis romper com a União Europeia?

Entre diversos motivos, o primordial é a questão da imigração. O argumento central era de que o Reino Unido não poderia controlar o número de pessoas entrando no país enquanto continuasse no bloco.

O casamento entre os dois nunca foi tão pacífico. Alguns defensores desse rompimento alegam que as políticas impostas pelas regras e decisões da União Europeia eram um grande gasto financeiro para o Reino Unido. Esse “divórcio” seria a melhor maneira de proteger a economia.

A quem esse divórcio atinge?

Meio bilhão de moradores da união europeia. E ainda alguns europeus que vivem no Reino Unido, visto que a partir dessa separação, o passaporte da União Europeia não será mais válido em países como a Inglaterra e um visto passará a ser exigido, o que pode comprometer milhões de empregos e moradias.

Isso ainda pode atingir coisas maiores no futuro, como o rompimento do próprio Reino Unido, que é composto pela Inglaterra, Escócia, Países da Gales e Irlanda do Norte. Os dois últimos países votaram pela permanência da União Europeia.

A primeira ministra escocesa Nicola Sturgeon anunciou que deve convocar um novo plebiscito para que a Escócia deixe o Reino Unido e volte para a União Europeia. O mais provável é que a Irlanda do Norte siga o mesmo caminho.

A bolsa de Londres, uma das maiores do mundo já sentiu essa separação e despencou. A libra, moeda local, atingiu o nível mais baixo dos últimos 30 anos.

O Reino Unido já saiu da União Europeia?

O Reino Unido ainda faz parte da União Europeia. Sua saída leva em torno de dois anos para acontecer de fato.


Reportar erro