Advérbios de negação

Os advérbios formam uma classe gramatical de palavras que modificam um verbo, um adjetivo ou outro advérbio e, raramente, um substantivo. Trata-se de uma…


Os advérbios formam uma classe gramatical de palavras que modificam um verbo, um adjetivo ou outro advérbio e, raramente, um substantivo. Trata-se de uma palavra invariável que indica as circunstâncias em que acontece a ação verbal. Mas o que são os advérbios de negação?

Os advérbios de negação

Chamamos de advérbios de negação um conjunto de palavras que pertencem à subclasse dos advérbios, podendo ser modificadores do grupo verbal ou de seus constituintes. Antigamente, de forma mais tradicional, apenas era considerado um advérbio de negação a palavra “não”, porém, nas gramáticas mais atualizadas, existem outros que também são aceitos.

  • Não
  • Tampouco
  • Nem
  • Nunca
  • Jamais

Locuções adverbiais de negação

Algumas locuções de palavras também funcionam como advérbios de negação e são denominadas de locuções adverbiais de negação.

  • De modo algum
  • De jeito nenhum
  • De forma alguma
Advérbios de negação

Imagem: Reprodução/ internet

Estruturação

As construções de frases de negação tem a distribuição do advérbio feita de forma bastante objetiva e restrita, ocorrendo sempre em posição de adjacência à esquerda do verbo. Isso acontece mesmo quando se tratam de construções interrogativas que envolvem a inversão do sujeito com o verbo. Confira alguns exemplos.

“Ele (não) comprou flores para a namorada, ontem, para o Dia dos Namorados”

“O que (não) comprou ele para a namorada?”

O advérbio, em construções de negação do grupo verbal, pode modificar qualquer constituinte do grupo verbal. O não, nesse caso, encontra-se adjacente ao constituinte modificado.

Modifica todo o grupo verbal:

“Ele não comprou flores para a namorada”

Modifica o objeto direto

“Ele comprou à namorada (não flores), mas livros.”

Modifica o advérbio de tempo

“Ele comprou flores para sua namorada (não ontem), mas hoje”

Modifica o objeto indireto

“Ele comprou flores ontem (não à namorada), mas à amiga”.

‘Nem’ e os advérbios de negação

O “nem” é considerado pela tradição gramatical da língua portuguesa como uma conjunção coordenativa correlativa apenas, que ocorre sempre em uma estrutura pré-determinada: “nem… nem.” (Nem flores, nem livros). Tem como função, portanto, correlacionar duas frases coordenadas, mas que são independentes sintaticamente falando.

Alguns autores atuais, no entanto, divergem nessa classificação, como é o caso de Antônio Borregana que, em sua gramática, classifica o “nem” em uma subclasse dos advérbios de negação, assim como o dicionário Houaiss da língua portuguesa. Confira alguns exemplos:

  • “Nem pense em fazer isso”
  • “Nem imagina o sucesso que você faz”
  • “João, o aniversariante, nem conseguiu conversar com todos os convidados”
  • “Eu nem parei um minuto sequer”.

Reportar erro