ALCA

A ALCA, ou Área de Livre Comércio das Américas, foi criada pelos Estados Unidos como um acordo que foi feito com países latino-americanos objetivando…


A ALCA, ou Área de Livre Comércio das Américas, foi criada pelos Estados Unidos como um acordo que foi feito com países latino-americanos objetivando incentivar o comércio livre e eliminar as barreiras comerciais, melhorando importação e exportação de produtos.

Fazem parte desse acordo 34 países, exceto Cuba que tem bloqueio econômico imposto pelos Estados Unidos, que, unidos, fazem parte de um grande bloco econômico, assim como a NAFTA e o Mercosul.

Como se formou?

A ideia de unir as economias das Américas em uma área com livre comércio teve início durante a Cúpula das Américas que foi realizada em Miami, nos Estados Unidos em Dezembro do ano de 1994. Entre 1994 e 1998, durante a fase preparatória, os ministros dos 34 países estabeleceram doze grupos para identificação e exames de medidas relacionadas ao comércio e suas respectivas áreas.

Lançadas de forma oficial somente em Abril de 1998 durante a Segunda Cúpula das Américas em Santiago, no Chile, as negociações da ALCA determinaram que deveriam focar na contribuição para poder elevar níveis de vida, melhorar condições de trabalho dos povos das Américas, além de manter protegido o mesmo ambiente. Mas foi somente na Terceira Cúpula das Américas que foram determinados os prazos que deveriam ser cumpridos para implementação do acordo da ALCA. Esse projeto está congelado desde a última Cúpula das Américas, que aconteceu em novembro de 2005.

ALCA

Foto: Reprodução

Objetivos

O principal objetivo da ALCA foi “representar a integração econômica e comercial das Américas”, sendo considerada totalmente mentirosa, pois acabou sendo relacionada, na verdade, como um lobo na pele de um cordeiro, uma vez que seria uma coisa muito ruim anteriormente apresentada como algo bom. Isso se deve ao fato da impossibilidade de integração entre economias totalmente desiguais.

O real objetivo por parte dos Estados Unidos seria a imposição da “lei do mais forte” em que alcançariam a subordinação total e definitiva entregando recursos naturais e monetários à potência americana.

Além disso, o controle de todo o comércio da América Latina e Caribe, além do reforço de vantagens das empresas de importação e exportação dos Estados Unidos já possuem, eram alguns dos principais objetivos.

Consequências

Segundo especialistas, a ALCA beneficia poucos e prejudica muitos, consistindo em um pacote de propostas que iam contra o povo latino-americano. É totalmente previsível a quantidade de prejuízos que isso traria: dependência econômica, política, tecnológica, além de invasão territorial e cultural.

Existem ainda muitas controvérsias, mas existem algumas pessoas que acreditam que a formação de blocos econômicos seria benéfica para a economia e desenvolvimento de países. No Brasil, no entanto, houveram vários protestos e, ao começar a defender-se, o país tornou as negociações ameaçadas de forma a prejudicar o andamento de todo o processo da ALCA.


Reportar erro