Análise morfológica

Saiba o que é a análise morfológica e entenda como ela é feita. Descubra a diferença entre ela e a análise sintática e confira alguns exemplos


Certamente você já estudou a gramática da língua portuguesa na escola. Ela é dividida em várias partes, e entre elas, estão a análise sintática e a análise morfológica. As divisões objetivam facilitar a compreensão do funcionamento das palavras nas orações, sozinhas ou quando em relação às outras.

Assim como a análise sintática, a análise morfológica faz parte da gramática normativa. A morfologia compreende as 10 classes gramaticais, representando uma base do sistema linguístico. Mas o que significa morfologia?

Morfologia

 

Análise morfológica

Foto: Reprodução/ internet

Enquanto a sintaxe estuda as funções desempenhadas pelas palavras em um contexto (sujeito, predicado, complemento nominal, adjunto adverbial, aposto, vocativo, entre outros), a morfologia refere-se à parte da gramática que estuda o significado das palavras de acordo com a classe gramatical a que pertencem, podendo ser verbos, adjetivos, pronomes, conjunções, artigos, preposições, interjeições, substantivos, numerais e advérbios.

Exemplificando

“O amor e a bondade são excelentes virtudes”.

Considere a frase acima para realizar a análise morfológica a seguir:

O – artigo definido

Amor – substantivo abstrato

E – conjunção

A – artigo

Bondade – substantivo abstrato

São – verbo ser

Excelentes adjetivo

Virtudes – substantivo abstrato

Outro exemplo: “A manhã está ensolarada”

Fazendo a análise morfológica, temos:

A – artigo

Manhã – substantivo

Está – verbo estar

Ensolarada – adjetivo

Já na análise sintática, seria um pouco diferente. Confira:

A manhã – sujeito simples

Está ensolarada – predicado nominal, já que o verbo proposto denota estado, sendo, portanto, um verbo de ligação

Ensolarada – predicativo do sujeito, uma vez que revela uma qualidade, uma característica sobre o sujeito

Mais um exemplo:

“Marcos e Paulo gostam de estudar todos os dias”

Na análise morfológica:

Marcos – substantivo próprio

Paulo – substantivo próprio

Gostam – verbo gostar

De – preposição

Estudar – verbo no infinitivo

Todos – pronome indefinido

Os – artigo definido

Dias – substantivo simples

Na análise sintática:

Marcos e Paulo – sujeito composto (dois núcleos)

Gostam de estudar todos os dias – predicado verbal

De estudar – objeto indireto (que complementa o sentido do verbo)

Todos os dias – adjunto adverbial de tempo

Deu para entender? Note que enquanto na análise sintática os termos são analisados de acordo com a posição desempenhada, em conjunto, na análise morfológica os termos da oração são analisados passo a passo, um por um, individualmente.


Reportar erro