Biografia de Andy Warhol

Trabalhou em famosas revistas, modernizou as artes plásticas, produziu alguns filmes e músicas, e ainda foi apresentador de programas na tevê


“No futuro qualquer um será famoso por quinze minutos”. Essa é uma das pérolas pronunciadas por Andrej Varhola Jr., ou apenas Andy Warhol. Esse artista plástico viveu à frente de seu tempo e inovou no que se refere as técnicas para fazer obras de arte. Uma carreira meteórica caracterizada pelos dons artísticos do designer e pela sua capacidade polivalente.

Trabalhou em famosas revistas, modernizou as artes plásticas, produziu alguns filmes e músicas, e ainda foi apresentador de programas de tevê. Suas obras são um reflexo da vida pessoal de Andy, a qual sempre foi exagerada, acentuada de frivolidade e sexualidade.

A vida de Andy antes da fama

Os pais de Warhol eram da Eslováquia e vieram para os Estados Unidos durante a Primeira Guerra Mundial. Aos 17 anos e em solos estadunidenses, o artista que nascera em 1928, inicia o curso de design no Instituto de Tecnologia de Carnegie, em Pittsburgh. Após a conclusão dos estudos, foi morar em Nova Iorque. Nesta nova fase da vida, começou como desenhista publicitário para revistas de prestígio como Vogue, Harper’s, Bazzar, Seventeen e The New York. 

Andy Warhol: vida e obras de arte inovadoras

Foto: Reprodução/ internet

Durante esse período, ganhou vários prêmios devido sua competência e trabalho desenvolvido nessas revistas. Começou, então, uma carreira progressista que evoluiu para várias áreas da arte.

Carreira reconhecida e inovação na arte

A primeira exposição de arte promovida por Andy Warhol ocorreu na Hugo Galley, em 1952. O artista expôs um trabalho de 15 fotos inspiradas em Truman Capote. A exposição se tornou um sucesso e foi colocada à mostra em diversos lugares durante a década de 50, inclusive no Museu de Arte Moderna (Moma).

Já na década de 60, o designer evolui suas técnicas de produção e passa a utilizar recursos da serigrafia de forma massiva. Esse método concebeu ao artista obras que retratavam mitos da sociedade contemporânea em cores fortes e vibrantes, como Marilyn Monroe, Elizabeth Taylor, Elvis Presley, Mao Tsé-Tungs e Che Guevara; bem como musas conhecidas na arte, à exemplo de Monalisa; além de produtos de consumo facilmente reconhecíveis, como as latas de sopa de Campbell e as garrafas de Coca-Cola.

Produziu peças que retratavam a urbanização dos Estados Unidos. A violência, acidentes, funerais, suicídios ou brigas de rua, eram temas essenciais de suas obras. A intenção do artista era provocar o público, polemizar e deixar uma sensação de angústia em que via suas produções. Além da serigrafia, Andy fazia uso de colagens e de materiais recicláveis, que não seriam utilizados normalmente.

Outros trabalhos do artista

Andy Warhol não fixou seus trabalhos apenas em obras plásticas, mas também apresentou programas de tevê, a exemplo da Music Television (MTV) e em emissoras abertas. Além disso, produziu músicas e filmes. Suas obras cinematográficas são caracterizadas como undergrounds, conceituados no termo “nada acontece”, isso significa dizer que seus filmes, muitas vezes bem longos, eram feitos com uma câmera filmando algum prédio ou um corpo humano.

Final da vida de Andy Worhol

Em 1987, o artista não se sentiu bem e foi internado em um hospital de Nova Iorque. Após vários exames, se submeteu a uma cirurgia de vesícula. No período do pós-operatório foi vítima de uma arritmia cardíaca, que o levou à morte no dia 22 de fevereiro do mesmo ano. Aos 59 anos de idade, Andy deixava uma vida repleta de arte e inovações.


Reportar erro