Anfíbios – Reprodução, alimentação e outras características

O nome anfíbio significa “vida dupla”, foi designado para esses animais pelo fato de que eles são capazes de viver tanto no ambiente terrestre,…


O nome anfíbio significa “vida dupla”, foi designado para esses animais pelo fato de que eles são capazes de viver tanto no ambiente terrestre, quanto no aquático, portanto essa é uma característica própria dessa classe. Os anfíbios na verdade, foram os primeiros do filo dos Cordados a fazerem a transição da vida marinha para a terrestre, porém, essa transição não é completa e eles precisaram ainda da água para sua reprodução. A classe se divide de acordo com o corpo em Anuros, Ápodes e Urodelos.

Nos estágios iniciais da vida, eles possuem vida aquática e presença de brânquias, após passar por metamorfose, passam a ter patas e pulmões. Esses pulmões serão simples,  possuirão pouca superfície de contato para a realização das trocas gasosas, não sendo tão eficiente, por isso a existência da respiração cutânea para esses bichos. Esse tipo de respiração se realiza através da pele e é necessário que ela esteja úmida para os gases se difundirem. A pele dos anfíbios por sua vez, conta com uma boa vascularização.

Alimentação

Na maioria das espécies dessa classe, os girinos são vegetarianos e se alimentam de pequenos pedaços de vegetais que ficam suspensos na água. Porém, ao passar para a fase adulta, passam a ser carnívoros, e se alimentam principalmente de insetos e alguns animais invertebrados. Há casos ainda em que os anfíbios adultos comem ovos e girinos de outras espécies.

A língua dos anfíbios tem bastante elasticidade e é bem pegajosa em sua ponta. Isso tudo para favorecer a captura das presas, pois, ao lançar a língua para o inseto que se tem como presa, ela gruda nele e este é logo puxado para dentro da boca. Tudo isso acontece com uma rapidez tremenda e antes de engolir o inseto, o anfíbio o pressiona contra seu céu da boa. Alguns dos anfíbios chegam a ter um tipo de dente no céu da boca que é responsável pela mobilização do inseto capturado.

Os anfíbios tem o estômago desenvolvido, seu intestino termina na cloaca e presença de glândulas. Também possuem substâncias que ajudam a digerir as cascas de insetos. Sua circulação é incompleta, pois nela há mistura do sangue arterial com o venoso; seu coração apresenta três cavidades, sendo dois átrios e um ventrículo.

Reprodução

Anfíbios - Reprodução, alimentação e outras características

Imagem: Reprodução

Como já foi visto, os anfíbios no geral precisam da água para se reproduzir, mas o local onde se realiza a reprodução vai desde um rio, até mesmo uma simples poça. O ritual de acasalamento começa quando o macho começa a coaxar, assim atraindo a fêmea. Essa que por sua vez está cheia de óvulos, se deixa agarrar pelo macho num abraço até que ela lance seus gametas na água juntamente com o macho que irá lançar seus espermatozoides. A fecundação então ocorre na água, ou seja, em meio externo – exceto salamandra e cobra cega que têm sua fecundação de maneira interna –.

Os ovos fecundados dão origem a larvas, que são os girinos, estes viverão na água até realizarem a metamorfose. Este processo de metamorfose é lento e nele ocorre diversas transformações até passagem ao estágio adulto, onde estarão com forma totalmente diferente da que costumavam ter.


Reportar erro