As técnicas de preservação ambiental que podem cair no Enem

Quando o solo é utilizado de forma incorreta ele pode ser destruído. O professor cita algumas técnicas de preservação


O professor de geografia Fábio Monstro, do Sistema Poliedro de Ensino, explica em vídeo quais são as principais técnicas de preservação ambiental que podem cair no Enem, o Ensino Nacional de Ensino Médio, porta de entrada para as principais faculdades e universidades do Brasil.

O docente começa explicando que o solo é um recurso natural muito frágil. Ele é formado pelos processos de intemperismo e pedogênese sofrido pelas rochas. Quando o solo é utilizado de forma incorreta ele pode ser destruído. Por isso, tentar protegê-lo é importante. Conheça as melhores formas de fazer isso:

Reflorestamento

A melhor forma de proteger o solo é não o desmatar. A cobertura vegetal atua como um escudo e evita o contato direto do solo com agentes intempéricos, como o vento e a chuva. Portanto, seja reflorestamento para fins comerciais ou de caráter ambiental com mata nativa, a prática é muito importante. Lembrando que a mata ciliar também é fundamental para a preservação da biodiversidade e para evitar o assoreamento dos rios e lagos.

Terraços

Em topografias mais íngremes, a implantação dos terraços contribui para diminuir a velocidade do escoamento superficial das águas. Isso minimiza os efeitos da erosão.

Curvas de plantio

Aprenda quais são as técnicas de preservação ambiental que podem cair no Enem

Foto: depositphotos

Essa cultura é muito utilizada aqui no Brasil. Ela consiste em plantar em fileiras paralelas. Essa estratégia assemelha-se à técnica de terraços, cuja ideia é diminuir a velocidade do escoamento superficial das águas.

Plantio direto ou na palha

Essa técnica surgiu para substituir as antigas queimadas. Funciona assim: depois da colheita ao invés de limpar o terreno, deixa-se o resto da produção sobre o solo e planta diretamente nele. Essa cobertura feita de restos de palhas, forma uma espécie de cobertura no solo e acaba protegendo-o das chuvas, do contato direto do sol e evita a erosão. Isso proporciona um ganho físico e químico.

Rotação de cultura

A rotação de cultura protege o solo da monocultura. Quando há uma rotatividade do que é plantado, dando-se um intervalo entre eles, o solo é preservado. O docente dá um exemplo de um calendário de plantio de três anos de uma determinada propriedade. Ela foi dividida em quatro partes e em cada uma delas é plantado um desses cereais: milho, soja e trigo. O último lote fica para repousar. No ano seguinte, o lote que plantou milho, planta-se soja, o que plantou soja planta-se trigo, o que plantou trigo descansa e o que descansou, planta-se milho. E assim por diante.

Quebra-vento

Uma técnica muito em uso é a plantação de árvores ao redor da propriedade para funcionar como uma espécie de paredão contra os ventos fortes, uma vez que a erosão eólica também destrói o solo.

Barreiras de contenção

As barreiras de contenção são muito utilizadas em ambientes urbanos, principalmente para proteger estradas. Podem ser utilizados pneus, bambus, muros de arrimo em zonas de topografia variada para evitar a perda de solo.

Assista ao vídeo da aula na íntegra aqui:


Informar erro