Armas nucleares

As armas nucleares são armas cujo poder de destruição é baseado na fissão ou fusão de átomos. Seu funcionamento está relacionado à enorme concentração…


As armas nucleares são armas cujo poder de destruição é baseado na fissão ou fusão de átomos. Seu funcionamento está relacionado à enorme concentração de energia em pequenos volumes que, caso seja liberada, pode causar grandes danos. A capacidade de cada uma das armas nucleares é medida por meio de duas unidades: O quiloton (1 quiloton equivale a 1000 toneladas de trinitrotolueno – TNT) e o megaton (1 megaton equivale a 1000000 toneladas de trinitrotolueno – TNT).

Armas nucleares

Foto: Reprodução

Tipos de armas nucleares

Basicamente, podemos dizer que existem dois tipos de armas nucleares: a bomba atômica e a bomba de hidrogênio.

Bomba Atômica

A bomba atômica é baseada na fissão de núcleos atômicos, isso é, no processo da quebra dos núcleos atômicos pesados – como o urânio-235 ou ainda o plutônio – lançando partículas atômicas – nêutrons – contra eles.

Bomba de hidrogênio

Já a bomba de hidrogênio, ou ainda bomba H, é baseada na fusão dos núcleos de átomos leves – como o hidrogênio – ocasionada por uma grande quantidade de energia que é obtida por meio da explosão de uma bomba atômica. Esta é muito mais poderosa do que a bomba atômica.

A história e as bombas nucleares

A atenção dada as bombas nucleares e seu poder de destruição teve início com o lançamento de duas bombas atômicas realizado pelos Estados Unidos com o objetivo de atingir territórios japoneses. Com isso, houve interesse dos russos na produção das bombas, assim como outros países como a França e o Reino Unido.

No ano de 1970 – período em que aconteceu a Guerra Fria – houve um tratado nomeado de “Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares” – ratificado em 2002. 188 países assinaram o acordo, cujo órgão responsável pela inspeção é a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica). Esta deve ter acesso a toda e qualquer informação relacionada aos programas nucleares dos países que fazem parte do acordo.

A arma nuclear mais potente da história, segundo a Federação dos Cientistas Americanos, foi lançado pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas em testes. Com 57 megatons, a bomba chamada Bomba-Tsar foi detonada em uma ilha do Oceano Ártico e, apesar de não ter propósitos de guerra – pois era grande demais – foi usada como propaganda do poder nuclear soviético. Com a dissolução da URSS, a Rússia, Ucrânia, Belarus e Cazaquistão ficaram com o controle das armas nucleares até o tratado citado acima, quando ficou estabelecido que a Rússia ficaria sendo o estado nuclear.

Quatro países são, atualmente, detentores de armas nucleares e não fazem parte do acordo: Índia, Paquistão, Israel e Coreia do Norte. A preocupação atual relacionada ao assunto está em torno dos planos de uso desses quatro para suas bombas nucleares.


Reportar erro