Art Noveau

Com o processo de industrialização no século XVII, muitas transformações aconteceram na Europa, trazendo trabalhadores que iriam assumir cargos nas fábricas para os centros…


Com o processo de industrialização no século XVII, muitas transformações aconteceram na Europa, trazendo trabalhadores que iriam assumir cargos nas fábricas para os centros urbanos. A tecnologia trazia a possibilidade da produção em massa de mercadorias diversas e, ao longo deste processo, cresceu um grande interesse em conciliar a demanda alta das manufaturas com as limitações do trabalho artesanal. Produtos produzidos em fábricas jamais seriam detalhados como os artesanais por falta de tempo. Em 1830, na Inglaterra, houve um grande incentivo na criação de escolas de desenho para que os profissionais aprendessem a desenvolver um design aplicado à produção industrial.

Art Nouveau

Foto: Reprodução

 

Muitos críticos de arte foram contrários ao processo de interferência que o capitalismo industrial trazia ao mundo das artes. Esta padronização de produtos pela Revolução Industrial, acabaria com as formas livres e originais que guiavam a arte até então.

O estilo Art Noveau (Arte Nova, em português), teve origem na reação aos ditames da sociedade industrial. Nesta época, John Ruskin, crítico de arte influente da Inglaterra, surge em defesa ao trabalho de artesãos do período medieval. Ia contra os padrões arquitetônicos da época, e exaltava a importância de uma arte verdadeira que só poderia acontecer com a liberdade criativa. Entre 1890 e 1910, o Art Noveau surgiu e se firmou quando uma nova geração de decoradores e artesãos se apropriaram de materiais popularizados em decorrência da industrialização, e criaram um novo tipo de concepção de desenho entre os ornamentos e formas arquitetônicas, dando origem desta forma ao estilo artístico.

O estilo artístico surgiu efetivamente na França, na década de 1890. Espalhou-se por diversos países da Europa e América, além de outros do mundo, e atingiu vários setores da arte, como o design, artes gráficas, criação de móveis e artes decorativas. O estilo prevaleceu em destaque até o final da década de 1920.

Art Noveau na arquitetura

Foto: Reprodução

As principais características

Este estilo fazia uso de materiais como o vidro, a madeira e o cimento, e relacionava-se com a produção industrial em série. Os artistas deste estilo artístico faziam uso dos conhecimentos físicos e matemáticos, e valorizavam muito a lógica e o conhecimento racional, se opondo ao movimento romântico e à valorização das expressões sentimentais na arte. A natureza e suas imagens eram muito valorizadas, retratadas com linhas em movimentos e arabescos. O uso das cores era feito com tonalidades frias nas pinturas e a figura feminina era muito retratada.

Art Noveau no Brasil

O Art Noveau surgiu no Brasil no começo do século XX como uma grande influência da produção européia e foi comumente chamado pelo nome de arte floreal. O estilo, no Brasil, se aplicava principalmente na pintura decorativa e na arquitetura e, embora pouco expressivo, o Art Noveau teve influência no movimento modernista brasileiro, podendo ser percebida nas obras de John Graz e Antonio Gomide.

Principais artistas do movimento Art Noveau

Os principais artistas deste movimento, podem ser listados como:

  • Victor Horta – projetista e arquiteto Belga
  • Ferdinand Hodler – pintor suíço
  • Emile Gallé – designer e artesão francês
  • Alfons Maria Mucha – designer e ilustrador checo
  • August Endell – arquiteto alemão
  • Jan Toorop – pintor holandês
  • Hector Guimard – arquiteto e desenhista industrial francês
  • Antoni Gaudí – arquiteto espanhol
  • Henry van de Velde – projetista, designer e arquiteto belga
  • Gustav Klimt – pintor austríaco
  • Joseph Olbrich – arquiteto austríaco
  • Les Vingt – pintor belga
  • Emilie Flöge – designer austríaca

Escrito por Natália Petrin


Reportar erro