As leis de Mendel, o pai da Genética

Um importante experimento para a Biologia, feito por Mendel, o tornou pai da Genética e originou a primeira, segunda e terceira leis do Mendelismo


Quem foi Mendel?

Gregor Johann Mendel nasceu em 1822 e é considerado o pai da Genética, mas além disso, também era monge agostiniano, botânico e meteorologista austríaco. É considerado referência quando se fala das leis de hereditariedade, que posteriormente foram denominadas Leis de Mendel. Mendel morreu em 1884, mas o seu legado é enorme e dura até hoje, sempre presente nas aulas de genética.

As leis de Mendel, o pai da Genética

Foto: Reprodução

Afinal, o que são as Leis de Mendel?

Após a grande teoria de Darwin sobre a seleção natural, veio a dúvida sobre as características pessoais: se eram, como ele dizia, realmente passadas dos pais para os filhos em medidas iguais, como uma mistura com ingredientes “igualados”. Contudo, William Bateson e Hugo de Vries provaram que as espécies não evoluíam de forma mecânica e igualada, mas por meio de “mutações”, o que derrubava a teoria de Darwin.

Com a teoria de Darwin derrubada, veio a descoberta dos estudos de Mendel. Inicialmente, não pareciam grande coisa, mas os experimentos com a ervilha se revelaram surpreendentes e esclarecedores. A partir destes experimentos, foram desenvolvidas as Leis de Mendel, que tratam de genes e do “comportamento” deles na evolução das espécies.

As 3 leis

Antes de conhecer as leis, é preciso saber um pouco do experimento realizado por Mendel: a escolha da ervilha foi proposital e bem planejada, já que esta planta do mesmo grupo do feijão e da soja é fácil de cultivar, tem um ciclo reprodutivo curto e produz muitas sementes. Assim, ele teria um bom material a ser trabalhado e de forma rápida. Mendel observou as ervilhas e como se diferenciavam por um tempo e depois passou a interferir na sua reprodução, para chegar às conclusões das “suas” leis.

Primeira lei de Mendel: Lei da Segregação ou Lei da Pureza dos Gametas

A primeira lei afirma que os fatores hereditários ou genes constituem unidades que são passadas de geração para geração sem alterações. Diz que quando há um cruzamento (com linhagens puras), uma unidade se manifesta na geração e outra não. Esta que não se manifesta é denominada gene recessivo e só torna a aparecer na segunda geração. Também foi observado que o gene dominante ocorre em três quartos dos descendentes, enquanto o gene recessivo ocorre em apenas um quarto.

Segunda lei de Mendel: Lei da Segregação Independente dos Genes

Esta segunda lei afirma que em indivíduos de linhagens puras, mas com uma unidade diferente (como a cor das ervilhas e sua textura, por exemplo), os genes distribuem-se (separam-se) independentemente para os gametas, assim, retornam combinando-se aleatoriamente, ao acaso, formando todas as combinações possíveis.

Terceira lei de Mendel: Lei da Distribuição Independente

A terceira e última lei de Mendel trabalha a dominância, afirmando que os seres híbridos (aqueles que são resultados do cruzamento entre os seres que possuem dominantes e recessivos) possuem um gene dominante que irá encobrir em partes o gene recessivo. Isso significa que os seres híbridos devem apresentar as características de dominância.


Reportar erro