Assassinato de Mahatma Gandhi

Gandhi é um dos principais líderes espirituais e políticos do mundo. Apesar de sua luta contra a violência, ele foi assassinado enquanto rezava


Mohandas Karamchand Gandhi, nome de nascença do líder Mahatma Gandhi, nasceu em 1869, em Porbandar, na Índia. É, sem sombra de dúvidas, um dos mais respeitados dirigentes espirituais e políticos do século XX. Por meio da resistência pacífica, contribuiu para a libertação do povo indiano do governo colonial inglês, e é honrado como pai da nação indiana.

História

Filho de uma família de comerciantes de Bombaim (atual Mumbai), estudou leis na Inglaterra. Em 1891, Gandhi regressou à Índia para exercer sua profissão. Em 1893, aceitou um contrato para trabalhar como advogado na África do Sul, que então era colônia britânica. Quando reclamou ali seus direitos como cidadão britânico, sofreu contínuas injustiças e observou que todos os indianos que ali estavam recebiam o mesmo tipo de tratamento.

Assassinato de Mahatma Gandhi

Foto: Reprodução/ internet

A luta

Sentir a injustiça do regime racial sul-africano o induziu a começar sua participação nos assuntos políticos, lutando pelos direitos da colônia de imigrantes ali estabelecidos. Em 1915, retornou à Índia e se filiou ao Congresso Nacional Indiano. O endurecimento do regime colonial o levou a dirigir os protestos, até que o Massacre de Amritsar, em 1919, o fez reformular suas táticas políticas e o induziu a lançar uma campanha de não violência e não colaboração com as autoridades britânicas.

Pela paz

Desenvolveu um método de ação social direta, baseado nos princípios da coragem, da não violência e da verdade, o qual chamou de satyagraha. Considerava que a conduta das pessoas valia mais do que as suas conquistas, e a satyagraha promovia a não violência e a desobediência civil com métodos mais adequados para alcançar objetivos políticos e sociais.

Logo, se converteu em líder do movimento nacionalista indiano. Utilizando dos postulados da satyagraha, Gandhi promoveu e dirigiu a campanha pela independência da Índia, e graças a esses feitos, foi preso diversas vezes. Ele acreditava que era honroso ir para a prisão por uma causa justa. Passou sete anos na cadeia devido às suas atividades políticas e mais de uma vez recorreu à greve de fome para conscientizar as pessoas sobre a necessidade de renunciar à violência.

O assassinato

No dia 30 de janeiro de 1948, o homem que recebeu o nome de Mahatma, que significa “Grande Alma”, foi assassinado por um extremista hindu. Gandhi estava de passagem por Nova Déli, quando foi cercado por um grupo de seguidores enquanto rezava. Da multidão, saíram três tiros que acabaram com a vida do líder. O assassino era Nathuram Godse, um hindu radical que acusava Gandhi de enfraquecer o governo indiano, e que os seus ideais eram parte de uma conspiração que permitiria que os hindus fossem massacrados pelos muçulmanos.

Apesar da luta de toda uma vida contra a violência, e de suas últimas palavras fossem de não retaliação contra seu algoz, Godse foi julgado e condenado ao enforcamento.


Reportar erro