Australopithecus – Comportamento e características

Australopithecus é nome de um dos gêneros de hominídeos que são considerados por muitos, ancestrais do homem atual. Veja suas características e história


Australopithecus é o nome de um dos mais antigos ancestrais do homem. Esse gênero de hominídeo extinto se dividia também em diversas espécies como: Australopithecus africanus, Australopithecus anamensis, Australopithecus bahrelghazali, Australopithecus afarensis, Australopithecus aethiopicus, Australopithecus robustus, Australopithecus boisei e o Australopithecus garhi. Todos com o nome fazendo algum tipo de relação com o local onde os primeiros fósseis da espécie foram encontrados. Esses hominídeos se distribuíam geograficamente pela parte oriental da África, do Norte da Etiópia à África do Sul. O significado do nome Australopithecus é ‘macaco do sul’, porque foi no sul da África que o primeiro fóssil desse gênero foi encontrado.

Esse hominídeo apareceu no planeta há mais de cinco milhões de anos atrás, durante o Plioceno, a última época do antigo período Terciário da era Cenozoica.

As características dos Australopithecus

Os representantes da espécie mediam cerca de um metro de altura e pesavam entre 30kg e 40kg.  Seu cérebro era mais ou menos do tamanho do de um chimpanzé.  A maior parte das espécies de Australopithecus conhecidas tinham o cérebro bem menor que o do Homo Sapiens, outro gênero de hominídeo. Em alguns casos essa diferença chegava há 35%.  A cavidade cerebral deles também era pouco elevada e muito estreita na região frontal.

O corpo dos Australopithecus era coberto de pelo, aumentando ainda mais a semelhança entre eles e os macacos. Eles tinham também os dentes  bem maiores e o maxilar mais pesado que o dos humanos atuais. A alimentação desses hominídeos era basicamente onívora, ou seja, eles de alimentavam tanto de produtos de origem animal, quanto de origem vegetal.

Como se comportavam?

O Australopithecus andava ereto e o paleontólogo britânico Ron Clarck afirmou, após investigações conduzidas a partir da exumação de alguns fósseis do hominídeo, que essa característica foi herdada de um antepassado primata que tinha surgido cerca de 20 milhões de anos antes dele.

Eles usavam algumas ferramentas rudimentares como paus e pedras, mas não os modificavam.

As espécies Australopithecus africanus e Australopithecus afarensis são os mais famosos desse gênero de hominídeo porque eram os mais fortes e habilidosos. Eles praticamente dominaram o planeta durante quase três milhões de anos, extinguindo várias espécies animais que cruzavam o seu caminho, até mesmo outras espécies de Australopithecus que não estavam tão adaptados ao meio e acabaram se extinguindo.

A teoria mais aceita no meio científico e acadêmico é de que o mais provável ancestral direto do ser humano é o Australopithecus afarensis, que surgiu há quatro milhões de anos atrás e foi extinto há uns dois milhões de anos. Mas de acordo com o resultado de estudos recentes anda ganhando força a possibilidade de que o A. Afarensis  teria dado origem ao A. Garhi e esse sim, esteja na raiz da humanidade e seja um ancestral direto do homem.

Imagens

Australopithecus - Face

Imagem: Reprodução

 

Casal de Australopithecus

Imagem: Reprodução

 

Crânio de um Australopithecus

Imagem: Reprodução

 

Arcada dentária dos Australopithecus

Imagem: Reprodução

 

Australopithecus - Ancestral do homem

Imagem: Reprodução


Reportar erro