Australopithecus

Os australopitecos (do latim australis = “do sul”; e do grego pithekos = macaco) formam um gênero de diversos hominídeos extintos, sendo parecidos com…


Os australopitecos (do latim australis = “do sul”; e do grego pithekos = macaco) formam um gênero de diversos hominídeos extintos, sendo parecidos com os chimpanzés e bastante próximos ao gênero Homo. O registro fóssil indica que o gênero Australopithecus é o ancestral comum do grupo de hominídeos reconhecidos nos gêneros Paranthropus e Homo. Dentre estes hominídeos extintos, o A. afarensis e o A. africanus são os mais famosos. Primeiramente descrito pelo anatomista australiano Raymond Dart, o A. africanus, datado em 2,5 a 2,9 milhões de anos, foi considerado durante muito tempo o ancestral direto do gênero Homo, especialmente da espécie Homo erectus.

No entanto, descobertas recentes de outros fósseis de hominídeos mais antigos que o A. africanus, mas que parecem pertencer ao gênero Homo, suscitaram dúvidas a respeito dessa teoria. Por enquanto, a teoria mais aceita indica o afarensis, surgido há cerca de 4 milhões de anos e extinto há uns 2,5 milhões de anos, como o provável ancestral humano. No entanto, ainda existem outras hipóteses além desta.

Australopithecus

Foto: Reprodução

As características dos Australopithecus

Ao contrário dos chimpanzés, os australopitecos não andavam sobre quatro patas: eram definitivamente bípedes. Os cérebros da maioria das espécies de Australopithecus conhecidas eram 35% menores que o do Homo sapiens e um crânio não significativamente maior que o de um chimpanzé atual.

Quanto ao tamanho, estes animais possuíam pequeno porte, geralmente não ultrapassando 1,2 m de altura. Os dentes e o maxilar também eram diferentes, bem maiores e mais pesados que os dos humanos.

A espécie garhi parece ter sido a mais avançada no que se refere ao uso de instrumentos, uma vez que os seus fósseis têm sido encontrados junto a eles e a restos de animais retalhados, o que sugere que esta espécie pode ter iniciado uma indústria de fabricação de instrumentos.

As espécies

Oito espécies de Australopithecus, que viveram entre 4 milhões e 1,5 milhão de anos atrás, já são conhecidas. Além do garhi e do africanus, foram identificados as seguintes espécies:

  • Australopithecus anamensis, encontrado no norte do Quênia no ano de 1974;
  • Australopithecus afarensis, encontrados na Etiópia, Tanzânia e no Quênia;
  • Australopithecus aethiopicus, encontrado próximo ao lago Turkana, no norte da Tanzânia, no ano de 1985;
  • Australopithecus boisei, encontrado no Desfiladeiro de Olduvai, Tanzânia, em 1959;
  • Australopithecus robustus, encontrado na África do Sul no ano de 1938;
  • Australopithecus bahrelghazalli, encontrado ao sul da Líbia, em 1993.

Reportar erro