Autotrofismo

A capacidade que alguns organismos vivos têm de produzir seus próprios alimentos recebe o nome de autotrofismo. A maioria dos seres autótrofos são vegetais…


A capacidade que alguns organismos vivos têm de produzir seus próprios alimentos recebe o nome de autotrofismo. A maioria dos seres autótrofos são vegetais – se alimentam por meio da fotossíntese -, mas na maioria, os seres vivos são heterótrofos, ou seja, não produzem seus alimentos e precisam se alimentar por meio da ingestão de alimentos.

Como funciona?

Os seres autótrofos, como citamos acima, são capazes de produzir seus próprios alimentos Mas como fazem isso? Eles sintetizam seus alimentos a partir de material inorgânico por meio da prática de um dos dois mecanismos fundamentais: a fotossíntese ou a quimiossíntese.

Fotossíntese

Os seres que realizam a fotossíntese – plantas – o fazem por meio da síntese de substâncias inorgânicas graças à energia obtida da luz. A célula, para conseguir produzir seus alimentos, é provida de estruturas que contêm clorofila – substância que tem a propriedade de reter um percentual pequeno da energia contida na descarga de fótons das radiações luminosas que incidem sobre suas moléculas. De acordo com a biologia, aproximadamente 3% da energia da luz incidente nas plantas é retida pela clorofila, e em seguida usada para ativação das reações químicas responsáveis pela produção da glicose.

Autotrofismo

Foto: Reprodução

Algumas bactérias, no entanto, mesmo com a ausência de clorofila, realizam a fotossíntese. Isso acontece por meio dos pigmentos conhecidos como bacterioclorofilas. Estes pigmentos, apesar de possuírem uma composição distinta da clorofila, retém quantidades pequenas de energia captadas da radiação luminosa. A diferença entre esta reação e a fotossíntese é que ao invés de ocorrer uma reação entre CO2 e H2O como na fotossíntese das plantas, ocorre entre CO2 e o hidrogênio livre, ou ainda entre compostos inorgânicos como H2S, mas nunca com a água. Por isso, a fotossíntese realizada pelas bactérias não produz oxigênio livre, como ocorre com as plantas.

Quimiossíntese

A quimiossíntese, por sua vez, acontece em alguns grupos de bactérias, como as sulfobactérias, nitrobactérias e ferrobactérias. Ela consiste na realização de reações oxidativas que liberam energia, por meio da qual eles desencadeiam uma combinação do CO2 com a água, formando a glicose. Ela diferencia-se da fotossíntese pela forma com a qual obtém glicose, que é por meio da combinação de CO2 e água, com auxílio da energia das reações de oxidação, e não por meio da energia da luz. Como exemplo, podemos citar as sulfobactérias que oxidam H2S – sulfeto de hidrogênio -, de forma a obter a energia necessária para a segunda reação: a síntese dos compostos orgânicos.

Hipótese Autotrófica

A hipótese autotrófica nada mais é do que um estudo que acredita que os primeiros seres vivos que habitaram o planeta eram autotróficos. Esta ganhou adeptos e tem sido aceita por muitos estudiosos. Sua principal evidência foi a descoberta de bactérias em ambientes inóspitos como fontes de água quente e vulcões submarinos. Neste caso as bactérias são quimiolinoautotróficas.


Reportar erro