Belle Époque

Apesar de ter início normalmente citado como no final do século XIX e fim no início da Primeira Guerra Mundial, é difícil determinar especificamente…


Apesar de ter início normalmente citado como no final do século XIX e fim no início da Primeira Guerra Mundial, é difícil determinar especificamente limites para a época da Belle Époque, uma vez que é mais um estado espiritual do que algo preciso. A expressão francesa Belle Époque significa “bela época”, e representa um período de cultura cosmopolita na história da Europa. A época em que esta fase era comum foi marcada por transformações culturais intensas que demonstravam novas formas de pensar e viver. Considerada uma época de ouro, beleza, inovação e paz entre os países; a fase trazia invenções que faziam com que a vida se tornasse mais simples para todos os níveis sociais.

Belle Époque

Foto: Reprodução

O que mudou?

Neste período aconteceram diversas mudanças, principalmente quando se trata de tecnologia. Muito do que aconteceu, como a invenção do telefone, do telégrafo sem fio, do cinema, do avião e do automóvel, inspirava a todos com novas percepções da realidade. Paris, com os balés, livrarias, óperas, teatros e diversas expressões de cultura, era considerada o centro produtor e exportador de cultura mundial. Estes ambientes tornaram-se, nesta época, muito comuns na rotina dos burgueses e apenas eles tinham acesso ao mundo da arte.

Art Nouveau

Na arte, o estilo Art Nouveau era comum nesta época. Suas características envolvem a valorização das cores vivas, curvas sinuosas que se baseavam nas formas das plantas, animais e mulheres, além dos ornamentos. As principais obras deste estilo são fachadas de edifícios, vitrais, joias, móveis e portões.

A cultura do divertimento

Com o desenvolvimento tecnológico da comunicação, e também da eletricidade, unidas com o crescimento urbano, surgiu a cultura do divertimento. Os cabarés, o cancan e o cinema haviam surgido, e eram comuns expressões artísticas envolvendo o Impressionismo e a Art Nouveau. A Belle Époque também teve representação em expressões de cultura urbana que visavam o divertimento, e eram incentivadas pelo desenvolvimento dos meios de transporte e comunicação. Nestes ambientes, era possível encontrar a fusão de elementos da cultura erudita com elementos de classes baixas. A indústria do divertimento foi possível graças à eletricidade e à diminuição das horas de trabalho, permitindo que os trabalhadores desfrutassem dela. Parques e cinemas, transformaram-se então em ambientes de divertimento em massa, uma vez que os ingressos eram de baixo custo, e permitiam que todos saíssem da realidade cotidiana.

Belle Époque no Brasil

Neste período, no Brasil, vive-se um momento em que se busca minimizar as lembranças do Império e da colonização Portuguesa. Acontece o Movimento Modernista e a realização da Semana de Arte Moderna, além da fundação da cidade planejada – Belo Horizonte, e as grandes reformas urbanísticas no Rio de Janeiro. Ao contrário da Europa, o Brasil teve a instalação da Belle Époque feita de forma lenta, iniciando em 1880 e seguindo até 1925.

A ligação entre o Brasil e a França tornou-se forte nesta época. Era comum que os membros da elite brasileira fossem até Paris para que estivessem sempre a par de todas as inovações.

Eram comuns as repressões sexuais e o forte moralismo, que eram comportamentos típicos da era vitoriana. Neste período, o Brasil passou por uma escalada do socialismo organizado, e os confrontos deste novo cenário, somados às controvérsias políticas criaram um posicionamento dos franceses entre a esquerda e a direita. Apesar de toda a tensão que havia no Brasil, a época é lembrada como era dourada, e foi abalada de súbito pelo início da Primeira Guerra Mundial.


Reportar erro