Biografia de Auguste Comte

Auguste Comte (1798-1857) foi um filósofo francês, nascido em Montpellier, França. É conhecido como o criador da corrente de pensamento denominada “Positivismo”. Comte realizou…


Auguste Comte (1798-1857) foi um filósofo francês, nascido em Montpellier, França. É conhecido como o criador da corrente de pensamento denominada “Positivismo”. Comte realizou seus primeiros estudos em sua cidade natal. Em Paris, ingressou na Escola Politécnica, mas com o fechamento temporário desta, retornou a Montpellier para continuar seus estudos na faculdade de medicina. Em 1817, retomou os estudos em Paris, até ser expulso da Escola Politécnica. No mesmo ano, tornou-se secretário do socialista Saint-Simon, quem o apresentou à intelectualidade francesa. Nessa época, começou a escrever o livro “Curso de Filosofia Positiva”, que seria uma filosofia das ciências. De um lado, originou uma classificação das ciências, por ordem de complexidade; de outro, formulou a Lei dos Três Estados, que é o alicerce fundamental de sua obra.

Auguste Comte

Foto: Reprodução

Em 1826, Comte foi internado em uma clínica de saúde mental para tratar problemas psiquiátricos. Já no ano de 1832, voltou à Escola Politécnica para lecionar, mas saiu em 1844 por não obter cátedra. 1848, o pensador francês criou uma “Sociedade Positivista”, que obteve muitos seguidores. Comte faleceu em Paris, França, no dia 5 de setembro de 1857.

Influência de Comte no Brasil

As ideias de Comte influenciaram muito a formação da república no Brasil. O lema da bandeira brasileira, “Ordem e Progresso”, foi inspirado na doutrina positivista do filósofo francês. As ações políticas que acompanharam a proclamação da República, tais como a separação entre igreja e Estado, o estabelecimento do casamento civil, o fim do anonimato na imprensa e a reforma educacional proposta por Benjamin Constant também foram influenciados pela filosofia positivista de Comte.

A Lei dos Três Estados

A Lei dos Três Estados é o fundamento da obra de Comte. Essa Lei postula que os três estados (três formas de concepção da realidade), de acordo com a história humana, são os estados: teológico, metafísico e positivo.

Teológico: No estado teológico, Deus está presente em tudo, todas as coisas são explicadas a partir da vontade dele. Esse estado tem três subdivisões, a saber:

Animismo: os objetos concretos da natureza têm vida própria;

Politeísmo: os desejos e vontades dos deuses possuem controle sobre todas as coisas;

Monoteísmo: os desejos de Deus (um único deus) controlam todos os acontecimentos.

Metafísico: O pensamento abstrato é substituído pela vontade pessoal e a descrença em um Deus leva a crer em relações misteriosas entre as coisas. Os fenômenos são explicados por meio de forças ocultas.

Positivo: Este estado ficou conhecido como Positivismo, no qual a humanidade busca respostas científicas para todas as coisas, a natureza e seus fatos. Seria o resultado dos dois estágios anteriores. O conhecimento científico é a única forma de conhecimento verdadeiro.

Positivismo

O pensamento positivista pregava um modelo de sociedade organizada, onde o poder espiritual não teria mais importância. Na obra “Discurso sobre o Espírito Positivo” (1848), Auguste Comte afirma que o espírito positivo, que abrange a inteligência, os sentimentos e as ações positivas, é maior e mais importante que a cientificidade, que compreende apenas questões intelectuais. O método positivo caracteriza-se, de modo geral, pela observação dos fenômenos.

Obras de Auguste Comte

As obras do filósofo francês são: “Plano de Trabalho Científico para Reorganizar a Sociedade” (1822), “Opúsculos de Filosofia Social (1816-1828), “Curso de Filosofia Positiva” (1830-1842), “Discurso sobre o Espírito Positivo” (1848), “Discurso sobre o Conjunto do Positivismo” (1848), “Catecismo Positivista” (1852), “Sistema de Política Positiva” (1851-1854), “Apelo aos Conservadores” (1855), e “Síntese Subjetiva” (1856).


Reportar erro