Biografia de Bernardo Guimarães

Romancista e poeta brasileiro, Bernardo Guimarães nasceu em 1825, no dia 15 de agosto, e viveu até 10 de março de 1884. Natural do…


Romancista e poeta brasileiro, Bernardo Guimarães nasceu em 1825, no dia 15 de agosto, e viveu até 10 de março de 1884. Natural do Estado de Minas Gerais, ele nasceu no município de Ouro Preto e é patrono da cadeira número cinco da Academia Brasileira de Letras e da número quinze da Academia Mineira de Letras. O escritor atuou como juiz, jornalista, professor de latim, de francês, de retórica e de poética.

Filho do casal João Joaquim da Silva Guimarães e Constança Beatriz de Oliveira Guimarães, o escritor mineiro estudou seminário e, aos 22 anos de idade, entrou na Faculdade de Direito de São Paulo, onde se formou em 1852 e adquiriu a amizade de Álvares de Azevedo e Aureliano Lessa.

Começo de carreira

A primeira obra publicada com a autoria de Guimarães foi o “Canto da Solidão”, escrito poético publicado por ele quando ainda estava na faculdade. Após sua formatura, o mineiro se mudou para o município de Catalão, no Estado de Goiás, onde atuou de 1832 até 1854 como juiz municipal.

Em 1858, Guimarães foi morar no Rio de Janeiro. Por lá, o poeta atuou como jornalista e crítico literário, no Jornal Atualidades. Já em 1861, ele retornou para Catalão, município onde reassumiu o cargo de juiz. Entretanto, cinco anos depois, em 1866, ele foi nomeado para o Liceu Mineiro de Ouro Preto como professor de retórica e poética.

Biografia de Bernardo Guimarães

Foto: Reprodução

Ápice da carreira

Publicado em 1872, o romance “O Seminarista” foi considerado a melhor obra de Guimarães. O escrito expressava a crítica do poeta em relação ao celibato religioso.

Já o romance mais popular do poeta mineiro foi “A Escrava Isaura”, com publicação em 1875, e que chegou a ganhar versão televisiva, a qual fez muito sucesso e, inclusive, foi distribuída em mais de 150 países do globo. A obra descreve um caso de amor entre uma escrava branca (Isaura) e um jovem abolicionista e republicano (Álvaro).

Obras publicadas:

Cantos da Solidão (poesia –1852)
Inspirações da Tarde (poema-1858)
O Ermitão do Muquém (romance-1858)
A Voz do Pajé (drama-1860)
Evocação (poesia-1865)
Poesias Diversas (1865)
A Bais de Botafogo (poesia-1865)
Lendas e Romances (contos-1871
A Dança dos Ossos (conto-1871)
O Garimpeiro (romance-1872)
O Seminarista (romance-1872)
O Índio Afonso (romance-1872)
A Escrava Isaura (romance-1875)
Novas Poesias (1876)
A Ilha Maldita (romance-1879)
O Pão de Ouro (conto-1879)
Folhas de Outono (poesias-1883)
Rosaura, a Enjeitada (romance-1883)
O Bandido do Rio das Mortes (romance-1905)


Reportar erro