Biografia de Xenófanes

Nascido em 570 a.C. na cidade de Cólofon,  na Jônia, atual Turquia, Xenófanes foi um poeta e filósofo grego que viveu de forma errante…


Biografia de Xenófanes

Imagem: Reprodução

Nascido em 570 a.C. na cidade de Cólofon,  na Jônia, atual Turquia, Xenófanes foi um poeta e filósofo grego que viveu de forma errante durante a maior parte de sua vida. Como a Grécia havia sido invadida e dominada pelo povo persa no ano de 546 a.C., ele se tornou um nômade exilado de sua cidade natal, o que o ajudou a exercitar a prática de escrever poesias.

Uma de suas atribuições é a de que ele combatia fielmente a ideia de antropomorfismo, que assegura que Deus possuía características humanas, assegurando que Deus possuía características próprias, se diferenciando do homem, sendo um ser perfeito e unitário.  Esse estudo fez com que ele se tornasse uma figura importante quanto a se tratar sobre o estudo da teologia. Ele era contra essa ideia da aparência de Deus por vários motivos, num deles ele dizia que era impossível que os deuses tivessem uma aparência humana, pois se assim como os humanos eles nascessem, então assim como os humanos eles morreriam, e se morrem não são deuses. Se os deuses se parecessem com os humanos, tanto em aparência quanto em atitudes, eles cometeriam ações mundanas, nefastas e ilícitas, e isso não era aceitável no ponto de vista do filósofo.

O conceito de divindade

Muitos acreditam que Xenófanes se aproximava mais de um reformador religioso do que de um filósofo propriamente dito,  ao contrário de Anaximandro, por exemplo, que havia criado um conceito que buscava na natureza da matéria um motivo para todas as transformações, o apeiron. Xenófanes se apegava a ideia de que a essência de todas as coisas, o ser absoluto, era o UM, e o filósofo Teofrasto alegava que segundo os ensinamento de Xenófanes, o Um é Deus. Tudo é o Um.

Xenófanes cria então um conceito de Deus que diz que ele é um ser mais alto, uma entidade abstrata, que não possui nenhuma característica conhecida pelo homem, e muito menos, semelhante a este, nem referente a sua imagem nem ao seu espírito.

Xenófanes e o campo moral

No campo de vista moral ele sempre destacou muito os valores intelectuais do homem, afirmando que a superioridade se encontra na inteligência e na sabedoria e não nos dotes físicos, algo muito valorizado pelos gregos da época. Ele achava que o que tornava uma cidade melhor para  a sua população era a inteligência do povo que nela habitava, essa sabedoria é que iria fazer com que acontecesse progresso, essa era a verdadeira força necessária para o desenvolvimento, a força do saber. Não adianta lutar apenas por um corpo perfeito, pois tudo vem da terra e pra ela volta.  Ele costumava dizer que a terra é  o princípio das coisas, principalmente do homem, que é feito de terra e água.

É comum se considerar a ideia de que ele foi o fundador da escola de Eleia, mas isso é segundo interpretações incorretas de alguns testemunhos da época, pois segundo o próprio diz, ele era um andarilho que não possuía nem morada fixa, até a idade dos noventa e dois anos, o que o impediria de ter fundado alguma coisa.

Xenófanes viveu até os 92 anos de idade, morrendo em 460 a.C.


Reportar erro