Bioquímica

A biologia é dividida em diversos segmentos que estudam áreas específicas de forma mais aprofundada. Quando falamos em bioquímica, estamos falando em um desses…


A biologia é dividida em diversos segmentos que estudam áreas específicas de forma mais aprofundada. Quando falamos em bioquímica, estamos falando em um desses segmentos, mais especificamente aquele responsável por estudar a estrutura, a organização e as transformações moleculares que acontecem nas células.

Normalmente ela é definida de forma mais simples: o estudo das reações químicas em organismos. As transformações moleculares normalmente configuram algo denominado metabolismo, ou seja, as reações que são coordenadas e fundamentais para o crescimento, reprodução e sobrevivência dos seres vivos.

Metabolismo

Anabolismo e catabolismo são as formas de classificação do metabolismo, sendo que no caso do anabolismo, as reações químicas são direcionadas às sínteses de estruturas moleculares complexas a partir das moléculas simples. No segundo caso, as moléculas complexas são degradadas em estruturas mais simples.

Bioquímica

Foto: Reprodução

Processos bioquímicos

Podemos dizer, de uma forma geral, que os organismos vivos realizam quatro processos bioquímicos considerados básicos que permitem que sobrevivam:

  1. Síntese de biomoléculas – como lipídios, proteínas, carboidratos e ácidos nucleicos, por exemplo ;
  2. Produção de energia;
  3. Transporte de substâncias por meio das membranas;
  4. E, por fim, a eliminação de metabólitos de excreção e substâncias tóxicas.

Como se desenvolveu?

O estudo é relativamente recente, sendo datada do século XIX. A sua aplicação, no entanto, se deu há mais ou menos 5 mil anos, quando o pão começou a ser produzido com leveduras. A síntese da ureia é outro importante fato marcante na bioquímica moderna, e aconteceu pelas mãos de Friedrich Wöhler no ano de 1828. Isso serviu para provar que os compostos orgânicos podem ser obtidos de forma artificial, batendo de frente com a crença de que os compostos orgânicos somente poderiam ser gerados por organismos vivos.

No ano de 1833, outro fato importante se deu: Anselme Payen isolou uma enzima pela primeira vez: a diástase. Nessa situação, também se reconhece a primeira vez em que um composto orgânico que apresentava as propriedades de um catalisador foi descrito. Foi a partir disso que o sufixo “ase”, de diástase, passou a ser usado na nomenclatura dessas enzimas.

Louis Pasteur estudou a fermentação e descobriu as leveduras que estavam envolvidas no processo e depois de um tempo, Eduardo Buchner demonstrou que os processos bioquímicos complexos poderiam acontecer fora das células.

O termo

O termo, aparentemente, foi usado pela primeira vez no ano de 1882, mas a forma aceita é de que formalmente foi usado em 1903 por Carl Neuberg, enquanto outros grandes pesquisadores usavam outras denominações.

Aplicação

Mas para que esse estudo é importante? Nas indústrias farmacêutica – para a síntese de fármacos, excipientes –, médica – no tratamento de doenças e novas curas –, agrícola – a melhora da fixação de nitrogênio em plantas, como a soja, por exemplo –, alimentícia – fermentação de leite e derivados, além das bebidas alcoólicas e a produção de chocolates –, cosmética – em produtos de beleza e higiene – e tecnológica – na produção de sustentáveis de origem renovável.


Reportar erro