‘Brexit brasileiro’ quer a independência de SP, PE e do Sul do País

Eles querem poder se ver livres de partidos políticos e, de modo geral, defendem uma sociedade em que a atuação do Estado seja reduzida.


Um movimento separatista, encabeçado pelo estado de São Paulo e demais estados da região Sul do País, lutam pela independência do Brasil. Ou seja, eles querem poder se ver livres de partidos políticos e, de modo geral, defendem uma sociedade em que a atuação do Estado seja reduzida. O primeiro passo para isso será dado no dia 2 de outubro, com realização de plebiscito extraoficial, que pretende ouvir a população.

Os eventos estão sendo organizados pelo “Movimento São Paulo Livre” e “O Sul é Meu País”. Por enquanto, as consultas não têm efeito legal e são financiadas pelas próprias entidades. A ideia de formular correntes emancipatórias não é de hoje, mas ganharam força após o processo que resultou na saída do Reino Unido da União Europeia, em 24 de junho de 2016.

São Paulo

O movimento São Paulo Livre foi criado em 29 de outubro de 2014, estando presente com representações em cerca de 70 municípios. Ao todo, a entidade conta com 10 mil ativistas. O principal propósito que motiva a luta pela independência é a insatisfação com a distribuição tributária. De acordo com os ativistas, se o montante arrecadado com impostos não fosse transferido para a União, a verba para educação, saúde, segurança, moradia e transporte público triplicaria.

Os ativistas já pensaram, inclusive, no nome para o país: República de São Paulo. Outro ponto que também já foi pensado foi em relação à moeda de circulação, que seria o “ouro paulista”. Para a realização do plebiscito, a estimativa é que a entidade desembolse uma quantia de R$ 25 mil.

'Brexit brasileiro' quer a independência de SP, PE e do Sul do País

Foto: Depositphotos

Sul do país

O movimento “O Sul é Meu País” foi criado em 9 de abril de 1992, em contraposição a outros movimentos separatistas. Com 35 mil militantes, os membros defendem a criação de um novo país unindo Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Muitos são os motivos pelos quais as pessoas engajadas no movimento lutam pela independência em relação ao Brasil. Entre elas estão o sistema proporcional de vagas no Congresso Nacional e a distribuição de tributos no País.

A entidade é adepta da separação pacífica e via consulta popular. A partir da realização do plebiscito, marcado para o dia 2 de outubro, a organização estima gastar cerca de R$ 150 mil. Juntos, os três estados do Rio Grande do Sul somam cerca de 29 milhões habitantes.

Pernambuco também quer independência

Comungando dos mesmos ideais de independência de São Paulo e dos estados do Sul, Pernambuco também que participar do “Brexit brasileiro”. Inspirados nas comemorações dos 200 anos da Revolução Pernambucana de 1817, foi marcado para o dia 6 de março de 2017, a realização do plebiscito que vai ouvir a população em relação as ideias separatistas cultivadas pelo “Grupo de Estudos e Avaliação de Pernambuco Independente”.

Entre os objetivos da luta estão o aumento a eficiência e combate à corrupção na administração pública, diminuição dos impostos e reforma do sistema tributário, além de melhorias em políticas sociais principalmente na saúde e educação. O grupo também defende a criação de moeda própria. Hoje Pernambuco tem pouco mais de nove milhões de habitantes. A página do movimento no Facebook tem mais de 1.700 curtidas.


Reportar erro