Briófitas

As briófitas representam os vegetais mais antigos e seus ancestrais, segundo estudiosos, encontram-se na base da evolução de todas as plantas terrestres. Essa planta…


As briófitas representam os vegetais mais antigos e seus ancestrais, segundo estudiosos, encontram-se na base da evolução de todas as plantas terrestres. Essa planta mesmo parecendo não ter importância, como você pode perceber possui uma história e papel muito significativos para a evolução das espécies de vegetais. Veja agora um pouco mais sobre as briófitas.

Briófitas

Foto: Reprodução

Definição

As briófitas, do grego bryon = musgo e phyton = planta, pertencem ao reino Plantae. Essas são pequenas plantas, eucariontes, fotossintetizantes e multicelulares. Por serem pequenas, elas não possuem vasos condutores de seiva e nem estruturas rígidas de sustentação. Deste modo, o transporte de substâncias se dá por difusão e acontece de forma lenta.

Geralmente são encontradas em locais úmidos e sombreados, mas podem ser encontradas também em água doce e em locais muito secos. As briófitas dividem-se em três filos: Bryophyta, Hepatophyta e Anthocerophyta.

Características

As briófitas são plantas muito pequenas que se desenvolvem, geralmente, em ambientes úmidos. Existem algumas que são aquáticas, e outras ainda que podem se desenvolver em desertos, no gelo dos círculos polares e em rochas nuas. Essas últimas são conhecidas como espécies pioneiras, pois são plantas que desenvolvem-se primeiro durante a colonização de um substrato, criando dessa forma condições para o desenvolvimento futuro de outros organismos.

Elas são consideradas como intermediárias entre as algas verdes e as plantas vasculares, pois possuem uma estrutura muito parecida com a do cloroplasto, mas diferente deste elas já apresentam organização tecidual.

Estrutura

A briófita é dividida em três estruturas básicas: rizoides, cauloides e filoides. Observe que a estrutura dessas plantas não é igual às das demais plantas que possuem: raiz, caule e folhas.

  • Os rizoides são filamentos que fixam a planta no ambiente em que ela vive e são responsáveis por absorver a água e os sais minerais que estão disponíveis no ambiente;
  • O cauloide é uma pequena haste de onde surgem os filoides;
  • Os filoides são estruturas clorofiladas e capazes de fazer fotossíntese.

Como na estrutura das briófitas não existem vasos condutores de nutrientes, a água absorvida do ambiente é transportada de célula para célula, ao longo de todo o corpo vegetal. Por ser um transporte muito lento essas plantas são sempre pequenas e baixas.

Reprodução

A maioria das espécies de briófitas apresentam reprodução sexuada, mas existem algumas que se reproduzem de forma assexuada. Veja como ocorrem:

  • A reprodução sexuada ocorre na água e com a alternância de duas gerações: uma que é esporofítica (que produz esporos) e a outra que é gametofítica (que produz gametas). O gametófito masculino possui uma estrutura chamada de anterídio, neste são produzidos os gametas masculinos (anterozoides) que se deslocam com o auxílio de seus flagelos, até os gametas femininos da planta (oosferas). Ao fecundar, o zigoto sofre mitoses e forma um embrião. Esse embrião se desenvolve através de novas mitoses e dá origem ao esporófito. Quando ele atinge a maturidade é formada uma cápsula, as células no seu interior sofrem meiose e dão origem aos esporos haploides. Os esporos são liberados no ambiente, e quando encontram um substrato adequado, germinam, formando um novo gametófito.
  • A reprodução assexuada ocorre através da formação de propágulos no interior de estruturas presentes na planta-mãe. Eles desprendem-se da planta, são dispersados por gotas e respingos de água e ao encontrarem um novo substrato desenvolvem-se originando um novo indivíduo adulto.

Reportar erro