Buraco Negro

Descubra sobre o buraco negro, região do espaço sideral onde existe uma enorme força gravitacional e nada consegue escapar de sua atração, nem mesmo a luz


Buraco negro é uma região do espaço sideral onde existe uma enorme força gravitacional e nada consegue escapar de sua atração, nem mesmo a luz. Não é possível visualizar os buracos negros, pois são regiões onde a densidade de matéria é enorme. Como nem mesmo a luz consegue escapar do campo gravitacional de um buraco negro, não é possível enxergar nada.

A teoria do buraco negro

A melhor teoria para explicar o tipo de fenômeno encontrado em um buraco negro é a Teoria Geral da Relatividade, formulada por Albert Einstein. De acordo com a teoria do físico, a força da gravidade seria uma manifestação do espaço-tempo, causada pela massa de corpos celestes. Tal deformação seria proporcional à massa ou à densidade do corpo: assim, quanto maior a massa do corpo, maior a deformação e maior a força de gravidade dele. Consequentemente, maior seria a força mínima (velocidade de escape) que deve ser feita para que um corpo consiga vencer a gravidade do corpo. Nos buracos negros, a velocidade de escape é maior que a da luz.

Os estudiosos ainda não sabem afirmar com precisão como os buracos negros se formaram, mas existem duas teorias: a primeira afirma que eles são originários de gases da formação do próprio universo; a outra hipótese afirma que eles tenham se formado a partir da desintegração de estrelas.

São vários os tipos de buracos negros, dentre os quais estão os buracos negros super massivos, buracos negros estelares e mini buracos negros.

Buraco Negro

Foto: Pixabay

Como são detectados os buracos negros?

Os astrônomos perceberam um buraco negro pela primeira vez no ano de 1971, e deram-lhe o nome de Cygnus X, pois a emissão detectada era de raios X. Os corpos celestes, ao “caírem” em um buraco negro, emitem radiação, que é justamente o que pode ser detectado pelos aparelhos de observação astronômica.

No caso de uma estrela, por exemplo, o gás que a compõe vai se espiralando até cair no buraco negro. No processo, o gás se aquece muito e emite os fótons que são detectados pelos pesquisadores.

Embora não seja possível observar visualmente o corpo central do buraco negro, existem formas de identificar a sua massa, por meio de algumas análises da medição da velocidade de nuvens de gás e poeira das proximidades. Mesmo com todo o poder de atração gravitacional que o buraco negro exerce sobre outros corpos, outros fatores, tais como distância e tamanho, também interferem para que eles consigam “engolir” outros corpos.


Reportar erro