O Canal da Mancha

O Canal da Mancha é uma faixa de água que conecta o Oceano Atlântico e o Mar do Norte e separa a ilha da…


O Canal da Mancha é uma faixa de água que conecta o Oceano Atlântico e o Mar do Norte e separa a ilha da Grã-Bretanha do norte da França. Mancha deriva de manche, em francês, traduzido de forma incorreta pelos portugueses e espanhóis. Ao contrário do que parece, Manche não quer dizer mancha, mas sim Manga, uma peça do vestuário.

O Canal da Mancha

Foto: Reprodução

Com cerca de 563km de distância, a parte mais larga do canal tem 240km de largura e seu ponto mais estreito, o estreito de Dover, tem apenas 33 km. As ilhas do canal estão localizadas em seu interior, mais próximas do lado francês. A ilha de Ouessant ou a ponta de Corsen são pontos de referência da extremidade ocidental do canal.

Circulação marítima

O canal da mancha tem a circulação marítima mais intensa do mundo, chegando a ser caminho de tráfego de 250 navios ao dia, além dos ferries que ligam a França e a Grã-Bretanha por via marítima. O Eurotúnel constitui uma forma alternativa e rápida de viagem e consiste no segundo maior túnel ferroviário submarino do mundo, com comprimento de aproximadamente 50km.

O Eurotúnel

Eurotúnel

Foto: Reprodução

Construído abaixo do leito do mar, não dentro da água, mas no subsolo, o Eurotúnel foi inaugurado em maio de 1994. É, até hoje, a obra mais cara do mundo paga inteiramente com dinheiro privado, totalizando cerca de seis bilhões de dólares. A escavação para o túnel foi feita com máquinas perfuradoras de túneis, que alcançavam 200 metros de comprimento. O túnel fica, em média, 50 metros abaixo do leito do mar do norte. A escolha do percurso foi determinada por estudos geológicos como sonares, radares, perfurações e explosões de dinamite. Foram perfurados três túneis, os dois localizados nos extremos servem para a passagem de trens, um em cada sentido. Já o canal do meio serve para operações de manutenção e saída de emergência.

Os perigos

Historicamente, o canal da mancha era visto como um trajeto perigoso devido à quantidade de tempestades, frequentes neblinas e pouca visibilidade. Como antigamente os barcos eram a vela, haviam poucos recursos de segurança, o que fazia com que as travessias fossem lentas e perigosas.

Aventureiros

Atualmente a travessia do canal atrai muitos nadadores profissionais, e é a prova considerada mais difícil da categoria de águas abertas. A primeira pessoa a nadar no canal foi o Capitão Matthew Webb, em 1875. Abilio Couto foi o primeiro nadador brasileiro a realizar o trajeto a nado em 1958. A região conta com resorts costeiros que atraem um número alto de turistas do mundo inteiro.


Reportar erro