Caricom

Vivendo em cenários similares, alguns países caribenhos viram a necessidade de formar um grupo para lutar por melhorias dos povos. Surge então o Caricom.


Mercado Comum e Comunidade do Caribe ou simplesmente Caricom. Este é o nome dado ao bloco político e econômico formado por ex-colônias europeias que têm como objetivos aumentar o crescimento de suas nações e superar seus problemas sociais e financeiros. Construído em 4 de julho de 1973, hoje o grupo conta com 15 integrantes fixos, cinco associados e oitos observadores.

Tendo em vista toda sua história, hoje Caricom abriga quase 16 milhões de habitantes, um Produto Interno Bruto (PIB) equivalente a US$ 30 bilhões e um tráfego considerável de mercadorias, exportando produtos que tem como valor US$ 14 bilhões e importando em torno de US$ 16 bilhões de artigos. A proposta é crescer ainda mais e contando com o suporte uns dos outros.

História e características do bloco

Com exceção do Haiti – país que conseguiu a independência em 1804 -, todos os outros integrantes do Caricom foram livres de suas colônias muito tarde, por volta das décadas de 60 e 70.  O resultado deste atraso de independência, resultou em nações pobres e sem o mínimo de desenvolvimento possível. As heranças giram em torno da escravidão, monocultura e sistema latifundiário, todos os  aspectos presentes por mais de 500 anos de história.

Caricom

Imagem: Reprodução/ internet

Vivendo em cenários similares, alguns países caribenhos viram a necessidade de formar um grupo para lutar por melhorias de seus povos. Com base nos princípios da Federação das Índias Ocidentais Britânicas, criada em 1958 e dissolvida em 1962, os países membros fundaram o Mercado Comum e Comunidade do Caribe.

Este bloco é dividido em dois campos de área, um relacionado a política e o outro a economia. Os países que desejam adentrar no grupo pode escolher entre um e outro, ou se desejar, fazer parte dos dois setores.

Quais países formam o Caricom?

As nações que fazem parte do Mercado Comum e Comunidade do Caribe, são divididas em membros, associados e observadores.

  • Membros: Antigua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Belize, Dominica, Granada, Guiana, Haiti, Jamaica, Montserrat, Santa Lúcia, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Suriname e Trinidad e Tobago;
  • Associados: Anguilla. Bermudas, Ilhas Cayman, Ilhas Virgens Britânicas e Turks e Caicos;
  • Observadores: Aruba, Colômbia, Curaçao, República Dominicana, México, Porto Rico, Sint Maarten e Venezuela.

Propostas defendidas pelos participantes

Dentro do bloco são discutidos os problemas de cada país e são levados em considerações possíveis soluções para estes desafios. Outros pontos abordados e acordados entre os membros são: livre comércio na região, coordenação da agricultura e da indústria e a circulação do trabalho e de capital. Além disso, o Caricom aborda aspectos políticos, de saúde, educação, meio ambiente e comunicação.


Reportar erro