Ciclones, furacões e tufões

Existem alguns fenômenos da natureza que são resultado da ação dos ventos, variação da temperatura, umidade, clima e diversos outros fatores, que causam devastação…


Existem alguns fenômenos da natureza que são resultado da ação dos ventos, variação da temperatura, umidade, clima e diversos outros fatores, que causam devastação e muito medo. Ouvimos sempre falar muito sobre ciclones, furacões, tornados e tufões, mas você sabe qual é a diferença entre cada um desses fenômenos?

Ciclones, furacões e tufões

Foto: Reprodução

O que são?

Basicamente os fenômenos conhecidos por ciclones, furacões e tufões são a mesma coisa. No entanto, eles tem pequenas diferenças:

  • Ciclone: esse fenômeno é caracterizado por uma tempestade muito violenta que acontece em regiões tropicais ou subtropicais e os ventos superam a velocidade de 50 quilômetros por hora.
  • Furacão: os furacões apresentam uma velocidade muito superior à dos ciclones, ultrapassando os 199 km/h. Normalmente giram no sentido horário no hemisfério sul e no sentido anti-horário quando ocorrem no hemisfério norte. Esse fenômeno é muito comum no mar do Caribe ou nos Estados Unidos, onde chega a medir entre 200 400 km de diâmetro.
  • Tufão: tufão, por sua vez, é o nome que recebem os ciclones que acontecem no sul da Ásia e na parte ocidental do oceano Índico. Esse fenômeno apresenta as mesmas características do furacão.
  • Tornado: mais forte do que todos os outros fenômenos citados acima, esse pode atingir os 490 km/h apesar de ter um tamanho menor do que os anteriores. Seu poder de destruição é imenso, e é comum em zonas temperadas do hemisfério norte.

Como acontecem?

Os furacões formam-se a partir de uma espécie de buraco no meio, onde o ar frio desce. Essa parte, conhecida como “olho”, pode ter 20 km de diâmetro e suas paredes são as regiões por onde o ar quente sobe por meio de um movimento circular, dando ao furacão o seu aspecto. Esse fenômeno tem uma curiosidade: em sua parte superior, normalmente, giram em um sentido diferente da parte inferior.

Todos esses fenômenos têm início em regiões oceânicas com temperaturas superiores aos 27°C. Há a evaporação da água que começa a se acumular em forma de nuvens na camada mais baixa da atmosfera, criando uma camada com baixa pressão atmosférica que permite ao ar quente subir mais rápido e, da mesma forma, o ar frio descer – este pelo centro da tempestade. Quando aparecem ventos em sentido contrário, a tempestade começa a se mover, girando e, a medida que o fenômeno se movimenta sobre o mar, há o aumento da evaporação da água que apenas irá alimentar a tempestade que se transformou em furacão. O fenômeno se dissipa ao chegar em algum continente, onde vai encontrar mais frio e menos umidade, mas antes disso vai provocar grandes devastações.


Reportar erro