Cisma do oriente

Ficou conhecido como Cisma do Oriente um conflito de interesses que aconteceu no século XI entre a Igreja Católica do Ocidente e a do…


Ficou conhecido como Cisma do Oriente um conflito de interesses que aconteceu no século XI entre a Igreja Católica do Ocidente e a do Oriente. Como uma das principais consequências, aconteceu o rompimento da Igreja e, a partir de então, cada um dos lados passou a defender as doutrinas que acreditava, mantendo até os dias atuais.

Como aconteceu?

A Igreja Católica, desde o Império Romano, e também durante a Idade Média, possuía duas sedes principais, sendo que uma, localizada em Roma, representava o Ocidente, e a outra, localizada em Constantinopla, representava o Oriente. Entre as duas partes, durante o Império Romano, ficou acordado que a capital seria Roma, mas mesmo concordando, o Oriente guardou alguns ressentimentos quanto ao outro lado, pois havia algumas exigências jurídicas marcantes que os papas faziam.

Leão IX, papa de 1048 até 1054, teve as determinações mais marcantes, cujos seguidores decidiram manter mesmo após o fim de seu papado. O lado Ocidente se opunha, também, ao sistema que o Oriente assumia de subordinar-se a um chefe secular. Outro fator determinante para a Cisma do Oriente foi que, ainda durante o Império Romano, Fócio, patriarca, condenou a inclusão de filioque no Credo da Cristandade Ocidental acusando-os de heresia. Essa foi a primeira ruptura entre o Ocidente e o Oriente.

Com o passar dos séculos, as igrejas mantiveram desigualdades culturais e políticas que, inclusive, causaram o rompimento do Império Romano.

Cisma do oriente

Foto: Reprodução

O que foi?

Com essas e outras desavenças entre as duas igrejas, foram gerados mais conflitos ideológicos. No ano de 1054 aconteceu a divisão que ficou conhecida como Cisma do Oriente, que dividiu a Igreja que era chefiada pelo Papa, em Roma, da que era chefiada pelo patriarca, em Constantinopla.

O Ocidente teve invasões bárbaras que obrigou a uma reestruturação do Império Romano, em que este entrou em contato com a influência e a presença dos povos germanos. A Igreja do Oriente, em contrapartida, carregou a tradição dos ritos gregos integrando especialmente o Império Bizantino.

Em 1054, o que determinou a divisão foi o envio do Cardeal Humberto à Constantinopla para entender a crise que acontecia, e tentar resolver. A crise entre os cristãos, no entanto, já havia se espalhado tomando todo o lugar, o que fez com que o Cardeal excomungasse o patriarca Miguel Ceruláro, mas toda a Igreja Bizantina assumiu que foi excomungada, o que fez que também excomungassem o papa Leão IX. Isso deu origem à Igreja Ortodoxa no Oriente e a Igreja Católica Apostólica Romana no Ocidente.


Reportar erro