Citomegalovírus

Pertencente à mesma família do vírus da herpes, o citomegalovírus é um vírus que pode causar uma infecção no sistema nervoso central, digestivo e…


Pertencente à mesma família do vírus da herpes, o citomegalovírus é um vírus que pode causar uma infecção no sistema nervoso central, digestivo e também na retina. Presente em grande parte das pessoas, este apenas se manifesta quando o sistema imunológico está comprometido. Praticamente todas as pessoas possuem o vírus, mas nem todas acabam manifestando a doença citomegalovirose, causada por ele.

Citomegalovírus

Foto: Reprodução

Citomegalovirose

A doença causada pelo citomegalovírus recebe o nome de citomegalovirose. As pessoas, como dissemos anteriormente, em sua maioria, possuem o vírus em seu corpo, mas somente são afetadas aquelas que estão com as defesas diminuídas. Isso é muito comum em pessoas que estão em tratamento de câncer ou ainda da Aids. A citomegalovirose, no entanto, não possui uma cura: o vírus permanece latente no corpo quando o indivíduo é infectado. É muito comum vermos gestantes descobrindo o vírus no organismo devido aos exames do pré-natal. Mas não é, normalmente, um problema a se preocupar, pois não causa alterações no bebê – principalmente caso a mulher tenha sido infectada antes de engravidar (chances de menos de 1% de transmissão para o bebê), mas é importante seguir orientações médicas e fazer os exames pré-natais.

O diagnóstico é feito por meio de um exame de sangue pelo qual é possível evidenciar os anticorpos contra o vírus. Quando o resultado for reagente CMV IgM, indica que a infecção é aguda e quando for CMV Igg, permanece por toda a vida.

Como acontece a transmissão?

O contato com secreções como da tosse e da saliva ou ainda contato íntimo e compartilhamento de copos, talheres e toalhas com uma pessoa infectada pode ser o suficiente para a contaminação, uma vez que a transmissão desse vírus é muito fácil.

A transmissão pode acontecer ainda por meio de transfusão de sangue ou ainda por transmissão da grávida para o feto. É importante, no entanto, que você saiba: é muito difícil, praticamente impossível, viver sem ser infectado em algum momento pelo vírus.

Quais os sintomas e o tratamento?

Sintomas

Entre os sintomas do citomegalovírus, podemos encontrar a febre, dor de cabeça e de garganta, podendo ainda – quando a doença estiver em fase mais avançada – afetar o fígado e o baço. Os sintomas, no entanto, normalmente não aparecem quando um paciente é infectado, mas sim quando está com o sistema imunológico comprometido. Por isso a infecção normalmente é descoberta durante exames de sangue.

A doença pode trazer algumas complicações como a coriorretinite – podendo levar a cegueira -, comprometimento do fígado ou do intestino, ou ainda do sistema nervoso central – podendo gerar ausência de movimento das pernas, mielite ou encefalite. As complicações, no entanto, são mais comuns em pacientes muito debilitados.

Tratamento

O tratamento é feito com medicamentos que combatem os sintomas e, em casos mais graves, os médicos recorrem a um medicamento antiviral utilizado por um período de aproximadamente 30 dias.

A doença e a gestação

Como citamos anteriormente, quando a mulher é infectada antes da gestação, há poucas chances de isso interferir ou ainda ser transmitido ao bebê. No entanto, quando a contaminação acontece durante a gestação, o vírus traz riscos maiores de complicações podendo envolver febre e inchaço dos gânglios linfáticos. A transmissão para o bebê pode ser evitada por meio de um antiviral consumido pela mãe.


Reportar erro