Classificação dos fungos

Fungos sobrevivem em quase todo ambiente. Conheça mais sobre suas características, filos e respectivos representantes


Os fungos são seres capazes de sobreviver em praticamente todos os tipos de ambientes. Eles podem agir como parasitas de plantas ou animais e alimentar-se de matéria orgânica em estado de decomposição. Atualmente existem mais de 200.000 espécies de fungo em todo o planeta e algumas delas possuem características taxonômicas similares, o que as fazem parte de um mesmo grupo. Estas espécies são classificadas em Filos, veja a baixo como podemos fazer esta classificação dos fungos.

Os filos

Filo Chytridiomycota

Filo Chytridiomycota

Imagem: Reprodução

Este filo é representado pelos fungos que são de ambiente aquático e de consistência quase sempre gelatinosa, que em algum momento de sua existência apresentará um flagelo. Os citridiomicetos, também conhecidos como mastigomicetos (mastix: flagelo e mycetos: fungo), podem se assemelhar as amebas em algumas fases de seu ciclo de vida e não possuem a parede celular constituída por quitina, mas apenas por celulose e polissacarídeos. Eles podem ainda serem divididos em dois grupos distintos: Os sapróbios que se alimentam de restos de plantas e animais e os parasitas, responsáveis por causar doenças em batatas.

Filo Zygomicota

Filo Zygomicota

Foto: Reprodução

Os zigomicetos ou ficomicetos são os fungos que em geral são usados na confecção de molho de soja, hormônios como anticoncepcionais e anti-inflamatórios. Seu corpo de frutificação se constitui numa penugem de coloração branca cheia de pontos escuros que são os esporângios. Há mais de 1.000 espécies deste tipo de fungo e eles podem ser encontrados em quase toda a parte, agindo como parasitas em alguns animais ou como decompositores. O mais conhecido representante deste filo é o Rhizobux, que causa bolores em doces, pães e frutas.

Filo Ascomycota

Filo Ascomycota

Foto: Reprodução

Os ascomycota ou ascomicetos abrangem metade das espécies conhecidas de fungo até então. O mais conhecido deles é o levedo, associado ao fermento de padaria e confecção de produtos como pão, álcool e bebidas alcóolicas. Outra espécie bastante conhecida é empregada em estudos genéticos e responsável pela produção de penicilina e de alguns queijos, o Penicillium. Há mais de 32.000 espécies deste fungo e eles são responsáveis pela formação das estruturas reprodutivas sexuadas conhecidas como asco, daí o seu nome.

Filo Basidiomycota

Filo Basidiomycota

Foto: Reprodução

Conhecidos também como basidiomicetos, eles são os que produzem a estrutura sexuada chamada basídio, de onde deriva seu nome. Possui mais de 22.000 espécies e são mais conhecidos como orelhas-de-pau, cogumelos, carvões e ferrugens, sendo estes dois responsáveis por causar doenças em plantas. Algumas espécies são comestíveis, enquanto que outras são terminantemente venenosas, como é o caso do Agaricius (conhecido como champignon) e o Amanita Muscaria respectivamente.

Filo Deuteromycota

Filo Deuteromycota

Foto: Reprodução

São chamados de Fungos Imperfeitos ou deuteromicetos. O termo fungos imperfeitos é usado porque os fungos deste filo não apresentam reprodução assexuada, por meio de conidiósporos, e não se encaixam em alguns conceitos pertencentes aos fungos citados anteriormente. Algumas espécies antes classificadas como deuteromicetos, contudo foram reclassificados como é o caso do Penicillium, Aspergilius, Candida Albacinis e o Tricophyton, agora pertencentes ao filo dos ascomicetos. Este é um filo que está propenso a extinção por tratar-se de um grupo especial, sem características específicas definidas.


Reportar erro