Colonialismo português

O que é colonialismo? Entende-se por colonialismo, a política de um país exercer autoridade ou controle em um território ocupado por seus moradores, contra…


O que é colonialismo?

Entende-se por colonialismo, a política de um país exercer autoridade ou controle em um território ocupado por seus moradores, contra sua vontade, que normalmente são desapossados de parte de bens e direitos políticos que pudessem ter anteriormente.

O termo, derivado do latim, é derivado do estabelecimento de comunidades de romanos fora do território de Roma. O colonialismo pode ser colonizador ou de exploração.

Foi por meio da colonização que os homens espalharam-se pelo mundo. Houve intensa exploração de recursos nos territórios colonizados, de forma que a população era aniquilada ou transformada em escravos. Por esse motivo, ocorreram resistências e independências -processo chamado de descolonização, que deu fim aos impérios coloniais por volta do século XX.

O colonialismo português

Colonialismo português

Foto: Reprodução

Portugal foi o primeiro país da Europa a se unificar como Estado Nacional, e os outros países do continente se organizavam em ducados pequenos e fragmentados. Foi por meio desta precoce unificação que o país teve avanços em relações comerciais, buscando impulsionar o comércio através de navegações em busca de novos mercados. No século XV, Portugal tornou-se um império colonial, que teve domínios em quatro continentes e foi o mais longínquo do mundo.

O expansionismo português

Antes mesmo de haver interesses comerciais, o impulso para o expansionismo dos portugueses foi pelo objetivo militar e evangelizador. No entanto, foi com o comércio que as buscas se intensificaram e, com o grande interesse do mercado europeu por especiarias vindas do Oriente, Portugal passou a investir em novas rotas para monopolizar o fornecimento delas.

O contorno do continente africano foi o caminho escolhido pelo país para chegar até o Oriente. O trajeto, nunca antes realizado por embarcações comerciais, era na época considerado um caminho desconhecido e levou mais de um século para completar-se, tempo que rendeu ainda mais benefícios para Portugal. O país, ao passar por vários pontos do litoral africano, devido à impossibilidade de fazer o trajeto continuamente, conquistou produtos, territórios e escravos.

Os portugueses conseguiram chegar ao Oriente, consolidando uma rota chamada Périplo Africano que, apesar de demorada, foi bem produtiva e vantajosa para o país.

Espanha a caminho do Oriente

Em 1492, a Espanha unificou-se como Estado Nacional, e partiu em busca de uma rota por meio do Ocidente para chegar ao Oriente. Cristóvão Colombo encontrou novas terras que chamaram atenção de Portugal que, apesar de ter conhecimento das terras ao longo do Périplo Africano, não as conquistou. Portugal e Espanha, então, em disputa pelo território, entraram em acordo por meio do Tratado de Tordesilhas, que determinou que as terras localizadas a leste de uma linha imaginária eram propriedades de Portugal, e as a oeste, seriam da Espanha.

O Brasil e suas riquezas

Foi depois de algum tempo, no entanto, que Portugal reparou no Brasil e em suas riquezas, uma vez que os lucros do Oriente eram muito interessantes. Ao temerem perder as terras brasileiras, os portugueses atentaram para o país, que tornou-se muito importante para Portugal no século XIX. Em uma crise ocasionada pelo Império de Napoleão e sua expansão, a Corte Real Portuguesa foi transferida por completo para o Brasil, fase em que Portugal tirou muito proveito do Sistema Colonial. A economia do país era mantida por meio da exploração da metrópole nas colônias, mas nesse mesmo século, Portugal começou a fragmentar-se.

O Brasil, em 1822, tornou-se independente mediante declaração de Dom Pedro I, e Portugal passou por ataques de outros países europeus na tentativa de sustentar suas colônias da Ásia e da África. Durante o século XX, o império acaba ao perder as colônias em Macau e Timor-leste.


Reportar erro