Como as aves voam?

As penas leves e resistentes estão intimamente relacionadas com o voo das aves, além do formato aerodinâmico do corpo, o esqueleto e a musculatura. Entenda!


Atualmente, voar é uma capacidade quase exclusiva das 9.600 espécies de aves existentes, mas, o que faz com que isto seja possível? Diferentemente de outros animais, cada elemento da anatomia das aves foi feito para eles pudessem voar.

As penas leves, flexíveis, fortes e resistentes estão intimamente relacionadas com a capacidade que estes animais possuem de voar, além do formato aerodinâmico do corpo, o esqueleto, a musculatura, o modo de vida e o habitat.

Elementos que permitem o voo das aves

Um dos elementos que permitem os voos das aves são os ossos pneumáticos. Esses possuem a mesma resistência dos ossos de outras espécies de animais, porém, não são maciços. Alguns dos ossos do crânio, do peito e da região das asas são ocos e, consequentemente, mais leves, o que facilita ainda mais o voo.

Como as aves voam?

Foto: Pixabay

Penas

Dependendo da espécie, uma ave pode ter entre mil e 25 mil penas espalhadas pelo corpo, característica única desses animais e que possibilita os voos. Cada pena tem um eixo de onde saem diversas ramificações, sendo fixadas umas nas outras e formando uma espécie de “leque” bastante resistente ao vento.

Existem diferentes tipos de pena e cada uma serve a uma função distinta no corpo das aves: as penas de contorno cobrem o corpo das aves adultas e ajudam no voo; já as mais curtas (as plumas) encontram-se abaixo das penas de contorno. As penas mais curtas, ou seja, as plumas conservam o calor das aves e cobrem os filhotes. Na região do peito desses animais, existem algumas penas que funcionam como órgãos sensores, que detectam as mudanças na velocidade e na direção das correntes de ar. Há, ainda, as penas da cauda, que auxiliam na direção e orientam o voo para a direita ou para esquerda.

Nas aves que migram (percorrem distâncias maiores), as penas são mais longas, possibilitando que a ave bata as asas mais lentamente e, consequentemente, menos cansativa. Aves que se movimentam mais rapidamente, como o beija-flor ou o gavião, possuem asas e penas mais curtas, que lhes permitem maior agilidade.

Asas

As asas exercem dois papéis fundamentais: o de propulsor, impulsionando a ave para a frente; e o de aerofólio, dando a sustentação necessária para mantê-la flutuando no ar.

Musculatura

A força da musculatura peitoral também é um elemento que torna possível que as aves voem. O esterno possui uma quilha de onde saem os músculos peitorais e a musculatura é muito forte e desenvolvida, permitindo que a ave mantenha o ritmo do bater de asas constante.

Respiração

Os sistemas respiratório e circulatório também possibilitam o alto desempenho das aves, tornando o seu metabolismo muito eficaz. Os pulmões das aves são muito diferentes dos outros animais e o sistema conta com os “sacos aéreos”, eficazes nas trocas gasosas.

Os pulmões e a presença dos sacos aéreos nas aves permitem que o sistema circulatório seja possível, uma vez que este opera em altas temperaturas.


Reportar erro