Como usar a crase corretamente?

A crase é o acento grave utilizado para indicar a fusão de duas vogais iguais. Aprenda a fazer o uso correto dessa contração


O acento grave indicativo de crase indica a fusão da preposição “a” com os artigos “a”, “as” e com os pronomes demonstrativos “a”, “as”, “aquele(s)”, “aquela(s)”, “aquilo”. A crase é um dos temas que causa muitas dúvidas entre os falantes da língua portuguesa, mas você verá que o seu uso não é tão complicado, basta conhecer e aplicar as regrinhas.

O emprego correto da crase

Confira os exemplos a seguir:

-Fui à festa.
-Assisti às aulas de francês.
-Por favor, dirija-se àquele senhor.

Como usar a crase corretamente?

Foto: depositphotos

A palavra crase tem origem grega e significa “mistura”, “fusão”. Na nossa língua, é a denominação dada à fusão de dois fonemas idênticos, a letra “a”. Mas, como saber se o emprego do sinal indicativo de crase está correto? Primeiramente, devemos lembrar que não existe crase antes de palavras masculinas, como em “a pedido de”, “a convite de” e outros. Por quê? Porque o primeiro “a” obrigatoriamente é preposição, e o artigo com o qual a preposição pode fundir-se é necessariamente feminino. 

Regras gerais para o uso da crase

Existem algumas dicas simples que podem nos ajudar a usar a crase corretamente. Confira a seguir:

1- Como já vimos, a crase deve ser utilizada apenas diante de palavras femininas, porque se trata da fusão da preposição “a” com o artigo “a”. Em caso de dúvidas, coloque um termo masculino no lugar do termo feminino. Se surgiu a forma “ao”, você deve usar crase antes do termo feminino.

Observe atentamente os exemplos a seguir:

-Vou à festa.
-Vou ao parque.

2- A crase deve ser empregada em locuções adverbiais, conjuntivas ou prepositivas de base feminina.

Exemplos: às vezes, às pressas, à custa de, às escuras, às claras, à medida que, à procura de etc.

3- A crase é obrigatória quando a expressão “à moda de” estiver implícita. Observe atentamente o exemplo a seguir:

 –Comprei alguns móveis à Luís XV.

4- A crase deve ser utilizada com “aquele”, “aqueles”, “aquilo”, “aquela” e “aquelas”.

Exemplos:

-Referiu-se àquilo.
-Dedicou-se àquelas leituras.

5- A crase deve ser utilizada em expressões que indicam horas, no entanto, é necessário ter atenção com as construções em que as horas são antecedidas das preposições “para”, “desde”, “até”, “após” e “entre”.

Exemplos:

-O jogo começa às 20h.
-A aula termina às 22h.
-O show estava marcado para as 21h.
-As senhas serão distribuídas até as 14h.

Usos proibitivos da crase

O uso do sinal indicativo de crase não deve ser utilizado nos seguintes casos:

A crase nunca vem antes de verbos.

Exemplo: Disposto a perdoar.

Nunca devemos usar a crase quando “a” vem antes de plural.

Exemplo: O estudo não se refere a gestantes.

A crase não deve ser usada nas expressões formadas por palavras repetidas.

Exemplos: cara a cara, gota a gota, ponta a ponta, dia a dia, frente a frente, uma a uma, face a face etc.

Não devemos usar a crase antes da maior parte dos pronomes.

Exemplo: Disse a ele que não virá.

A crase não deve ser empregada depois de “para”, “perante”, “com”, “contra” e outras preposições.

Exemplos:

-Foi até esquina de casa.
-Lutou contra as holandesas.
-A aula está marcada para as 9 horas. 

Uso facultativo

A crase pode ser descartada em algumas ocasiões, como antes de pronomes possessivos, depois de “até” e em locuções femininas de meio ou instrumento.

Exemplos:

-Fui até a escola./Fui até à escola.
-Enviou a mensagem à sua família./Enviou a mensagem a sua família.
-À vela/a vela
-À mão/a mão.

Atenção! No caso das locuções femininas de meio ou instrumento, dá-se preferência para o uso da crase quando for necessário evitar ambiguidade.

  

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas).


Informar erro