Concordância do verbo ser

A concordância do verbo ‘ser’ pode ser feita com o sujeito e com o predicativo. Conheça os casos de concordância do verbo ‘ser’


Como regra geral da concordância verbal, temos que o verbo sempre concorda com o seu sujeito em pessoa e número. No entanto, existem alguns verbos que possuem algumas particularidades que podem fugir a este princípio básico, como é o caso dos verbos “haver” e do verbo “ser”, tema deste artigo.

O verbo “ser” é considerado um verbo anômalo e é, também, um dos verbos auxiliares mais utilizados. Este verbo tem uma característica especial: é o único na Língua Portuguesa que permite a concordância com o predicativo.

Os casos de concordância do verbo ser

A concordância do verbo “ser” pode ser feita com o sujeito e com o predicativo. Confira a seguir alguns casos:

A regra geral

De acordo com a regra geral, o verbo “ser” concorda com o sujeito da oração em número. Veja os exemplos a seguir:

Eu sou mineira.
Tu és competente.
Ele/ela é legal.
Nós somos trabalhadores.
Vós sois pontuais.
Eles/elas são professores.
A média do tempo é de 24 horas.

Imagem de estudante escrevendo em bloco de anotações

Foto: Depositphotos

Casos comuns

Quando o sujeito da oração é “tudo”, “isso”, “isto”, “aquilo”, o verbo ser concorda, preferencialmente, com o predicativo no plural.

Exemplos:

Naquele emprego tudo eram flores.
Aquilo são amores passageiros.
Tudo são flores naquela família.

Quando o sujeito ou o predicativo é representado por nome de pessoa ou por um pronome pessoal, a concordância se dá com a pessoa gramatical.

Exemplos:

Mario era as preocupações dos pais.
O futuro são elas.

Quando faz referência ao dia do mês, o verbo admite duas construções.

Exemplos:

Hoje é (dia) quatro de abril.
Hoje são quatro (dias) de abril.

No caso de o sujeito e o predicativo serem nomes referentes à coisa, e se um (sujeito ou predicativo) estiver no singular e o outro no plural, o verbo ser concorda, preferencialmente, com o que está no plural.

Exemplos:

Os livros são a minha paixão.
Suas atitudes são o segredo da boa relação.

No caso de o verbo ser constituir, junto com o predicativo, expressões que indicam quantidades, como “é pouco”, “é muito”, “é mais de”, “é menos de”, “é tanto”, com expressões de preço, peso e medida, ficará invariável.

Exemplos:

Oitenta anos é muito.
Dois quilos de farinha é suficiente.
Cinco quilômetros é pouco.

Ao indicar hora, período de tempo e distância, o verbo ser concorda com o predicativo. Nestes casos, torna-se impessoal, sem sujeito.

Exemplos:

É uma hora.
Daqui ao shopping são dois quilômetros.
São cinco horas.
É meio-dia e meia.

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas). 


Reportar erro