Concordância nominal

A conciliação que deve existir, em uma oração/frase, entre o nome (substantivo) e seus agentes transformadores (pronome, artigo, adjetivo e numeral) quanto ao gênero (masculino/feminino) e o…


A conciliação que deve existir, em uma oração/frase, entre o nome (substantivo) e seus agentes transformadores (pronome, artigo, adjetivo e numeral) quanto ao gênero (masculino/feminino) e o número (singular/plural) é compreendida como concordância nominal.

Exemplificando o assunto para melhor compreensão

Observe os dois exemplos abaixo e entenda melhor a concordância nominal:
Eu não sou mais um na sociedade capitalista.

Segundo a análise da oração, perceba que o termo “na” é a unificação da preposição “em” com o artigo “a” e, consequentemente, está de acordo com o substantivo de gênero feminino “sociedade”. Assim, ao mesmo tempo o adjetivo “capitalista” também faz referência ao substantivo e está de acordo em gênero (feminino) e número (singular).

Concordância nominal

Foto: Reprodução

As quatro amigas leais foram ao cinema. 

Neste caso, perceba que o artigo “as”, o numeral “quatro” e o adjetivo “leais” estão de acordo em gênero (feminino) e número (plural) com o substantivo “amigas”.

Algumas especificidades sobre concordância nominal

Em casos em que o adjetivo aparecer após dois ou mais substantivos de gêneros distintos, o mesmo irá concordar com o substantivo mais próximo ou permanecerá no masculino plural. Exemplos: Esta redação está com conteúdo e imagem distorcida. Ou: Esta redação está com conteúdo e imagem distorcidos.

  • Caso o adjetivo apareça antes de dois ou mais substantivos, o mesmo irá concordar com o mais próximo.Exemplo: Velhas revistas e livros enchiam as estantes.
  • Fique atento aos termos anexo, obrigado, incluso e próprio. Todos esses devem concordar com o substantivo.Exemplos: *Segue anexo ao e-mail o convite para a festa de encerramento. *O prefeito diz: Muito obrigado! *A professora diz: Muito obrigada! 
  • Adjetivos regidos da preposição de, que se referem a pronomes neutros indefinidos (nada, muito, algo, etc.), normalmente ficam no masculino singular. Exemplo: Sua vida nada tem de misterioso.

No entanto, esses adjetivos podem, por atração, concordar com o substantivo (ou pronome) sujeito. Exemplo: “Os edifícios da cidade nada têm de elegantes. (Mário Barreto) 

  • Quando dois ou mais adjetivos se referem ao mesmo substantivo determinado pelo artigo, são aceitos dois tipos de construções. Exemplos: Estudo as línguas espanhola e francesa. / Estudo a língua espanhola e a
  • Os termos meio, bastante, muito, caro, barato, só concordam com o substantivo. Exemplos: *Você está só (=sozinho) hoje? *Tenho bastantes trabalhos para fazer.

Entretanto, caso os mesmos termos tenham a função de advérbio, os mesmos são invariáveis. Exemplos: *Ele quer ir se for hoje. *Meus pais ficaram bastante animados.

  • Cuidado com as locuções é bom, é necessário, é preciso, é proibido, etc. Nos casos em que o sujeito não vem determinado pelo artigo, a concordância se faz com o fato que se tem em mente.

Exemplos: *É necessário ter muita fé. *Bebida alcoólica não é bom para o fígado. *É preciso ter cautela com a entrada de estranhos. *É proibido fumar.

No entanto, havendo a determinação do sujeito, efetua-se a concordância normalmente. Exemplos: *É necessária a ingestão de dois litros de água por dia. *”Seriam precisos outros três homens.” (Aníbal Machado) *A bebida alcoólica não é boa para o fígado.

 

*Revisado por Débora Silva, graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Informar erro