Constantinopla – Tudo sobre sua história

Constantinopla: a capital dos bizantinos e de muitos. Confira a história do seu auge duradouro à sua queda que marcou o fim da Idade Média


A posição geográfica – cercada por água e uma muralha que protegia de ataques – e a eficiência administrativa são, provavelmente, as razões que elevaram a Constantinopla ao posto de nova capital do Império Romano Oriental. Esta cidade e seu grande crescimento superaram Roma e logo ela transformou-se no centro comercial e urbano da Europa.

O Início

Não foi à toa que o Império Romano ou Império Bizantino (como veio a ser chamado posteriormente) “enxergou” potencial em Constantinopla. Esse território foi tomado pelo imperador romano Constantino I (o nome da cidade foi em sua homenagem) numa das expedições de seu exército, pois a futura Constantinopla oferecia presença no Império Romano e o controle de uma importante localização para o mundo antigo – ponto de encontro entre Europa e Ásia. Em 11 de maio de 330, Constantino a nomeou como capital do Império Romano, pois a cidade mostrava um crescimento e desenvolvimento enormes.

Informações Importantes

Constantinopla

Pintura do final do século XV, retratando o Cerco de Constantinopla. | Imagem: Reprodução

  • Também foi a capital do Império Latino (1204–1261), quando as forças da Quarta Cruzada a capturaram. Porém em 1261 voltou a ser capital do Império Bizantino.
  • Constantinopla conseguia conciliar perfeitamente os negócios e a religião. O seu comércio era tão grande quanto a fé de seu povo. Os bizantinos debatiam bastante sobre a Bíblia e religiões.
  • Durante seis séculos, as moedas bizantinas (solidus, semissis, tremissis, miliarense, siliqua, follis e nummus) foram as primeiras a se tornarem universais, pois eram aceitas e cambiadas na maior parte dos mercados asiáticos e europeus.
  • Em seu auge, chegou a ter mais de 34,5 milhões de habitantes.
  • Sua economia era diversificada e abrangia atividade agrícola, comércio e manufaturas. O comércio era muito superior ao do ocidente.

A Queda de Constantinopla

A queda da Constantinopla foi o evento que marcou o fim da Idade Média na Europa e que acabou com o último vestígio do Império Bizantino. Após 1261, quando voltou a ser a capital dos bizantinos, a cidade não conseguiu recuperar todo o esplendor do seu auge e começou a cair em decadência. Quase dois séculos depois (em 29 de maio de 1453), a cidade que já estava sob o cerco do Império Otomano há quase dois meses, foi oficialmente conquistada pelo sultão Maomé II – contudo, tentaram resistir, em vão. A grande muralha não impediu o avanço dos turcos. Este fato marcou a destruição final do Império Romano do Oriente e a morte de Constantino XI (último imperador bizantino).

Constantinopla foi capital do Império Otomano até o seu fim, em 1922. Em 1930, foi renomeada Istambul pela República da Turquia.


Reportar erro