Criação do estado de Israel

O mundo viveu momentos terríveis durante a Segunda Guerra Mundial, mas foi depois dela que as sequelas derivadas de anos de crueldade se destacaram.…


O mundo viveu momentos terríveis durante a Segunda Guerra Mundial, mas foi depois dela que as sequelas derivadas de anos de crueldade se destacaram. Foram mais de seis milhões de judeus exterminados em campos nazistas, e isso fez com que algumas das organizações que voltavam-se para a ajuda humanitária passassem a dar mais atenção ao resgate de judeus que sobreviveram aos campos e também a desenvolverem formas de embarcar estes judeus de forma clandestina para chegar até a palestina.

Como aconteceu?

Na época, a Palestina era concessão britânica e, portanto, os ingleses tentaram de muitas formas barrar o desembarque dos refugiados que precisavam de ajuda, o que sensibilizou a opinião pública mundial. A terra passou a ser chamada, para os judeus, como a Terra Prometida, para onde levaram todo seu potencial financeiro e tecnológico e passaram a construir seu país.

A terra, no entanto, já era habitada, e a partir disso, foi então revigorada a criação de um Estado judeu na Palestina e, durante uma assembleia da ONU, no ano de 1947, foi decretado que a Palestina seria dividida em dois estados, sendo que um seria Judeu e outro Árabe. Em 1948, foi, finalmente, fundado o Estado de Israel de forma oficial. O Estado árabe, também determinado pela ONU nesta reunião, no entanto, não foi criado até os dias atuais, o que torna essa luta presente até os dias atuais.

Criação do estado de Israel

Foto: Reprodução

A revolta

Esse episódio da separação recebeu o nome de “Questão Palestina”. O fato gerou uma revolta de países árabes de forma imediata, culminando o primeiro conflito entre os dois povos. Israel, tendo recebido apoio militar e financeiro proveniente de outras nações, venceu a guerra, dominando mais da metade do território que era reservado ao outro povo de acordo com a ONU. Nesta guerra no ano de 1948, aproximadamente meio milhão de palestinos tiveram de deixar a região em que viviam e refugiar-se em países vizinhos.

Até mesmo em países árabes, os palestinos que foram expulsos de suas próprias terras foram maltratados, e somente a Jordânia foi a favor e permitiu essa integração em sua sociedade, desde que fossem, no entanto, vigiados de forma permanente. Em outros países, com a ajuda da ONU, passaram a viver em acampamentos para refugiados.

Essa constante luta por territórios fez com que o Oriente Médio se tornasse uma das regiões em que mais ocorrem conflitos no mundo, pois constantemente existem atritos entre os ideais extremistas judeus e árabes, além das lutas por territórios.


Reportar erro