Delta do Parnaíba

Localizada entre os estados do Maranhão, Piauí e partes do Ceará, a Bacia do Rio Parnaíba é uma das 12 regiões hidrográficas do Brasil.…


Localizada entre os estados do Maranhão, Piauí e partes do Ceará, a Bacia do Rio Parnaíba é uma das 12 regiões hidrográficas do Brasil. Ela representa um conjunto de terras que faz a drenagem da água das precipitações e a converge para a área banhada pelo Parnaíba e seus afluentes. O bioma dessa bacia, que termina em área de vegetação litorânea, tem o seu início e meio dividido entre caatinga e floresta tropical.

A capital do Piauí, Teresina, constitui a maior área habitada da Bacia do Parnaíba. Tal região tem como principais características um deficiente sistema de abastecimento de água e uma crítica rede de saneamento básico e tratamento de esgoto. O baixo desenvolvimento dessa área da bacia é caracterizado como decorrente dos citados fatores negativos.

Importância

Apesar de não estar livre de períodos de estiagem e redução considerável do seu volume de água, a Bacia do Rio Parnaíba é considerada uma das três maiores bacias sedimentares do território brasileiro, ao lado das bacias dos rios Amazonas e do Paraná.

São consideradas bacias sedimentares aquelas cuja extensão marginal passa por precipitação, depositando-se ao nas profundezas do rio. Ao passo que pedras, areia e demais fragmentos vão se concentrando e sendo soterrados, tais passam por elevação dos níveis de pressão e temperatura, dando origem ao processo de litificação, esse que consiste na transformação em pedra, o que faz com que surjam conjuntos de rochas sedimentares.

Delta do Parnaíba

Foto: Reprodução

Extensão

O mais importante rio da bacia, batizado de “Velho Monge”, tem sua nascente situada nos contrafortes da chapada das Mangabeiras, área de confluência de outros três cursos de água: Curriola e Lontra, ambos pertencentes ao Piauí, além do Água Quente, este localizado na divisa entre o Maranhão e o Piauí. Não à toa é considerado o mais importante, o “Velho Monge” tem cerca de 1.450 quilômetros de extensão até desaguar no Oceano Atlântico.

Alto, Médio e Baixo Parnaíba. Esses são os três principais cursos. Destaca-se, no Médio Parnaíba, na região do município piauiense de Guadalupe, a Barragem de Boa Esperança, a qual mantém a usina hidrelétrica de Boa Esperança, a mesma integrante do sistema de energia da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf).

Aspectos complementares

A Bacia do Rio Parnaíba é composta por mais de três mil quilômetros de rios perenes, aqueles que nem mesmo durante os períodos de temperaturas elevadas chegam a secar. Nela há ainda 50% da água do subsolo da região Nordeste, estimada em 10 milhões de metros cúbicos a cada 12 meses, e também centenas de lagoas.

Em território piauiense, os afluentes mais importantes do Parnaíba são os rios Gurgueia, Uruçuí-Preto, Canindé, Poti e Longá. Já na área do Maranhão, o principal curso de água é o Rio Balsas.

O Parnaíba, antes de chegar ao oceano, compõe um extenso e recortado delta, considerado um dos três maiores do planeta, atrás apenas do delta do Nilo, no Egito, e do Mekong, no Vietnã. Ele é o único em mar aberto das Américas.


Reportar erro