Descolonização da África

A Descolonização da África foi algo que só aconteceu depois de um processo de lutas, principalmente após a Segunda Guerra Mundial


Da mesma forma que aconteceu com a Ásia e a América do Sul e Central, a África também foi uma terra colonizada pelos europeus, tornando-se também uma colônia de exploração, que tinha como objetivo enriquecer ainda mais os seus colonizadores. No ano de 1885, quando aconteceu a Conferência de Berlim, na Alemanha, os países participantes: Inglaterra, França, Bélgica, Alemanha, Itália, Portugal e Espanha, fizeram as divisões do continente africano, para que pudessem assim fazer as devidas explorações.

Descolonização da África

Um dos frutos da descolonização da África são as guerras civis constantes. Leia nosso artigo e entenda melhor a questão. | Foto: Reprodução

Quando aconteceu a segunda Revolução industrial, na metade do século XIX, havia uma grande necessidade de mercado, além de que as colônias americanas haviam conseguido suas independências. Isso forçou a Europa a voltar novamente às colônias da África e da Ásia e impor o seu sistema de neocolonialismo.

A libertação da África

A partir de então, os países que eram potências na Europa iniciaram uma disputa pelos territórios africanos, o que resultou na Primeira Guerra Mundial. Com isso, a Europa saiu enfraquecida, e perdeu sua hegemonia para os Estados Unidos, que passava a ser a maior potência global. O fim desta guerra provocou grande crise no continente europeu, o que ficou ainda mais acentuado pela crise de 1929, que teve uma grande repercussão nas áreas de colônias. Isso trouxe greves e revoltas. Os colonos viviam de maneira precária e já começavam a se mobilizar para dar um basta naquela situação. Começou a nascer um sentimento de liberdade, nacionalista, que a partir de então tinha como objetivo a independência de suas terras.

Com o passar dos anos, esse sentimento de libertação foi ficando ainda mais intenso, mas foi apenas com o fim da Segunda Guerra Mundial que esse sonho começava a dar sinais de que se tornaria realidade. Com o término deste conflito a Europa se viu em um crescente declínio, debilitada tanto política quanto economicamente.  As colônias aproveitaram este enfraquecimento para fazer renascer novos movimentos pela independência em todas as partes do continente.

Com o aumento cada vez maior desses processos, durante a década de 1960 muitos países europeus concederam de maneira pacífica a independência  a diversas colônias.  Porém, outra parte só foi possível depois de prolongados confrontos entre os nativos e seus colonizadores.

A Divisão deste continente

As nações europeias ficaram responsáveis por dividir o território africano, porém, eles não faziam nenhuma consideração entre as divergências existentes entre os nativos. As colônias foram transformadas em autônomas, mas, com a partilha feita de maneira errônea, muitas tribos que eram inimigas, por exemplo, acabaram ficando juntas, enquanto outras foram separadas.

Essa descolonização trouxe aspectos negativos. Além da instabilidade política aconteceram diversos conflitos entre os grupos étnicos rivais. Mesmo com essa independência proclamada, ainda continuaram ocorrendo diversas repressões aos grupos minoritários. Assim como acontecia no período colonial, aqueles que possuíam maior poder continuavam a maltratar e humilhar os mais fracos.

Essa divisão resultou em um continente fragmentado em 53 países independentes. E a má divisão dessas terras resulta em conflitos entre as tribos até os dias de hoje, o que impede o crescimento e a estabilidade política e econômica da região.

Em resumo, podemos afirmar que o que causou a Descolonização da África foi:

  • Falta de estruturação dos colonizadores;
  • Exploração em excesso, sem nenhum benefício para os povos africanos;
  • Aumento da pobreza e de conflitos étnicos;
  • Movimentos de libertação.

Reportar erro