Descubra como fazer uma festa junina educativa

Muitas vezes as pessoas esquecem o real sentido dos eventos juninos. Por isso, saiba como reverter essa realidade


O mês de junho é repleto de festividades relacionadas ao catolicismo, eventos estes carregados de tradições que vão desde a vestimenta até o preparo de comidas típicas. Contudo, esse real sentido das festas tem se perdido ao longo do tempo, abrindo espaço para novas manifestações artísticas, deixando para trás o verdadeiro sentido das festas. Por exemplo, o São João tradicional com o forró pé de serra está perdendo espaço para as festas com atrações musicais que fogem do estilo autêntico desta época do ano, a exemplo do sertanejo e do forró estilizado.

Todas estes aspectos que estão sendo esquecidos nas festividades juninas precisam ser resgatados de alguma forma. Seja em casa ou dentro dos centros de educação, é preciso acender o interesse das pessoas com relação a estes festejos, para que a tradição seja perpetuada. Para tanto, é necessário iniciativas com o objetivo de educar os mais jovens e alertá-los sobre a importância destas datas para a cultura.

Resgatar a historicidade das festas

O interesse pelas festas de rua está tão em evidência, que as pessoas esquecem o real sentido das festividades juninas. Poucos sabem, por exemplo, que além de homenagear os santos católicos, as comemorações servem como forma de agradecimento Divino pelas colheitas. Durante o mês de junho, no Brasil, a estação é o inverno, por isso que as comidas típicas são feitas de milho, tendo em vista que o nascimento deste cereal é mais propício nesta época do ano.

Como fazer uma festa junina educativa?

Foto: Depositphotos

Outros aspectos importantes desse resgate histórico são as manifestações culturais, como a dança e as músicas. Em cada canto do país, por exemplo, existe uma dança típica. No Maranhão tem o “bumba meu boi”, em Minas Gerais a “Congada”, já nos estados da região Nordeste prevalece as quadrilhas e os festejos tradicionais. Isso tudo sem contar com as músicas que prevalecem em cada região.

Desmistificar a caricatura do homem do campo

Curtir as festas juninas é uma boa oportunidade de eliminar certos preconceitos, principalmente com relação ao homem do campo. São coisas básicas que fortalecem os estereótipos de quem vive e trabalha na roça. Por exemplo, usar roupas com remendos, utilizar-se de chapéu de palha e muitas vezes colocar um capim no canto da boca, ou até mesmo pintar um dos dentes, para similar que é banguelo. Todas estas atitudes mostram o quanto a sociedade está condicionada à criar rótulos para uma vivência que não a pertence, por isso, criar uma festa junina educativa é também eliminar a discriminação das pessoas que vivem no campo.

Produzir festividades com o objetivo de ajudar

Envolver crianças, adultos e idosos na elaboração de festas é uma forma de repassar os conhecimentos para novas gerações. Além disso, famílias ou instituições podem movimentar seus integrantes com o intuito de organizar eventos juninos com o objetivo não de arrecadar dinheiro, mas sim de ajudar a quem precisa.


Reportar erro