Descubra como surgem os neologismos

No processo de criação das palavras, existem alguns fatores que são levados em consideração, seja pela junção de palavras ou uso de prefixos


Pela velocidade com que as coisas acontecem, é difícil não se deparar com alguma palavra que você ainda não conheça o significado.

Em alguns casos, nem o dicionário a reconhece. Sendo assim, você está de frente a uma nova palavra, que também é conhecida como neologismo. Os neologismos decorrem do progresso e do desenvolvimento da cultura humana, pois as novas ideias criam novas necessidades de expressão.

No processo de criação das palavras, existem alguns fatores que são levados em consideração.

Neologismo Léxico

Quando uma nova palavra surge no vocabulário da língua, esta recebe o nome de neologismo léxico. Como exemplos aparecem mouse, infovia e site.

Descubra como surgem os neologismos

Foto: depositphotos

Neologismo Semântico

Já no neologismo semântico, novos sentidos são atribuídos a uma palavra já existente: amarelar – fugir/desistir.

Neologismo por Onomatopeia

Ainda aparecem os casos em que as palavras são formadas a partir da representação dos sons, os chamados neologismos por onomatopeia, como pingue-pongue, tique-taque e piar.

Neologismo por derivação

É o caso mais complexo de neologismo. Para a criação das palavras, leva-se em consideração o radical, por anexação, supressão ou mesmo alteração da classe da palavra.

A derivação pode ocorrer de forma progressiva, quando os afixos são incorporados a uma base; regressiva, com os elementos suprimidos ou na forma imprópria, quando não se altera a forma, só a classe.

De acordo com o gramático Domingos Paschoal Cegalla, a derivação realiza-se de quatro maneiras:

  • Por sufixação – acréscimo de um sufixo a um radical. Exemplos: dentista, sapataria, felizmente.
  • Por prefixação – quando um afixo é anteposto a um radical. Exemplos: pré-história, incapaz, desligar.
  • Parassintética – ocorre quando o prefixo e o sufixo são anexados simultaneamente a um radical. Exemplos: envergonhar, emudecer, enfileirar.
  • Regressiva – quando há a substituição da terminação de um verbo pelas desinências –a, –o ou –e. Exemplos: muda (mudar), choro (chorar), castigo (castigar).

Cegalla lembra que existe ainda o processo da derivação imprópria:

Imprópria – consiste na mudança da classe de uma palavra, estendendo-lhe a significação.

Exemplos: O anoitecer no sertão é deslumbrante. – verbo transformado em substantivo;

O viver, o andar – os infinitivos passam a substantivos.

Composição

Essa forma de criar palavras vem a partir da junção de duas ou mais palavras e radicais existentes, ambos na formação de uma única. Para esse tipo de neologismo, existem dois tipos de definição: justaposição e aglutinação.

Justaposição – o caso é identificado por não ocorrer alteração fonética. Todas as partes são usadas na sua integralidade. Exemplos: passatempo, vaivém e pé-de-moleque.

Aglutinação – as partes que serão usadas na composição das palavras sofreram alterações fonéticas. Para as mudanças de formas, diz-se que as palavras sofreram metaplasmo.

Aférese – supressão fonética no início. Exemplo: ta por está.

Síncope – supressão fonética no interior. Exemplo: pra por para.

Apócope – supressão fonética no final. Exemplo: mó por mor.

Outros exemplos de aglutinação incluem as palavras aguardente (água ardente), planalto (plano alto) e embora (em boa hora).

 

*Revisado por Débora Silva, graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Informar erro