Como funcionam e qual a história dos fogos de artifício?

Os registros mostram que há milhares de anos antes de Cristo, a China já usavam os primeiros fogos da humanidade


Antes mesmo da descoberta da pólvora – matéria-prima para a fabricação de elementos explosivos -, os fogos de artifício já eram utilizados, mesmo que de uma forma ainda amadora. De acordo com historiadores, os chineses são os responsáveis pela criação da pólvora, há 2000 anos.

Todavia, há registros que mostram que há milhares de anos antes de Cristo a China já usavam bambus e fogueiras para preparar os primeiros fogos da humanidade.

Quando as duas técnicas encontraram-se na história e com o avanço da tecnologia química, os fogos de artifício começaram a tomar a forma como hoje em dia eles possuem: bonitos e coloridos.

Os fogos no passado

Pirotecnia é o nome dado hoje em dia para a técnica de usar fogos de artifício ou outros explosivos. No entanto, esta prática começou a ser utilizada de forma acidental. Na Ásia, os povos pré-históricos descobriram que ao lançar caules de bambu ainda verdes na fogueira, eles causariam pequenas explosões. Tal descoberta fez com que os povos começassem a utilizar a técnica como uma forma atrativa em festas comemorativas.

Estes eventos explosivos ocorriam devido ao fato de que dentro dos caules de bambu formavam-se bolsas de ar e de seiva. Desta forma, ao entrar em contato com uma temperatura quente, a planta inchava até o ponto de resultar em uma explosão. No início, o barulho resultante causou espanto. Porém, logo depois, o “pao chuck” , como ficou conhecida a técnica, foi implementada nas eventos comemorativos. A adesão tinha como intuito afastar os maus espíritos.

Como funcionam e qual a história dos fogos de artifício?

Foto: Depositphotos

O encontro de técnicas

Após milhares de anos da descoberta com os bambus, o alquimista chinês criou, acidentalmente, uma substância explosiva. Misturando nitrato de potássio, enxofre, carvão. Ele aqueceu a mistura e descobriu que, em contato com temperaturas altas, ela secaria como um pó preto. Inicialmente chamado de huo yao, em uma tradução livre “fogo químico”, o mesmo passaria a se chamar, posteriormente, pólvora.

Portanto, a técnica do bambu foi incrementada com a do fogo químico. Para isso, os chineses colocavam a pólvora nos caules da planta ainda verde e descobriam que o som da explosão era ainda maior. E assim continuaram seus festejos. Até o século 19, o huo yao foi a única técnica utilizada. Depois, com avanços tecnológicos e químicos outras descobertas foram surgindo.

Como os fogos de artifícios são utilizados atualmente?

Em datas festivas, a exemplo do São João e do Réveillon, estes elementos explosivos estão mais que presentes. E, após tantos avanços, os fogos tonaram-se mais bonitos e atrativos. Dependendo da mistura química, são diferentes efeitos visuais. Confira e entenda:

  • Nitrato + carbonato ou sulfato de estrôncio = vermelho;
  • Nitrato + clorato ou carbonato de bário = verde;
  • Oxalato ou carbonato de sódio = amarelo;
  • Carbonato ou sulfeto de cobre + cloreto mercuroso (calomenano) = azul.

Reportar erro