Diáspora Judaica

A diáspora judaica e suas consequências para o povo judeu, afetando a história e cultura dos hebreus


Sobre os judeus

Na história das religiões, o judaísmo aparece como a primeira religião monoteísta (monoteísmo é a crença na existência de um só deus). Eles acreditavam em Deus, o criador de tudo. A principal referência para a história desse povo foi e continua sendo a Bíblia. Por muito tempo, os judeus sofreram rejeição, foram perseguidos e até expulsos de territórios apenas por causa de suas escolhas religiosas. Eles acreditavam que Deus fez um acordo com os hebreus, tornando-os “o povo escolhido” e prometendo para eles a terra prometida.

Diáspora Judaica

Diáspora judaica representa as expulsões que o povo judeu sofreu ao longo de sua história. | Imagem: Reprodução

O que é a diáspora judaica?

A diáspora judaica é o nome dado às diversas expulsões forçadas dos judeus mundo afora, incluindo a formação de outras comunidades judaicas fora das regiões que hoje são conhecidas como Israel, partes do Líbano e Jordânia. Foi um processo de “dispersão” desse povo, que ia além da Palestina.

  • Primeira Diáspora: iniciada em 586 a.C., quando o imperador babilônico Nabucodonosor II conseguiu invadir o reino de Judá, destruindo Jerusalém e deportando os judeus para a Mesopotâmia (alguns migraram para vários países do Oriente). Esses judeus deportados continuaram com suas práticas e seus costumes religiosos, misturados com outros costumes herdados dos babilônicos. Todo esse processo de adaptação dos judeus no território babilônico fez com que o hebraico começasse a perder sua importância, dando lugar ao aramaico, que tornou-se a língua comum.
  • Segunda Diáspora: a segunda diáspora aconteceu bem depois da primeira, no ano 70 d.C. Ocorreu porque os romanos destruíram Jerusalém, “obrigando” os judeus a irem para outros países da Ásia Menor, África ou sul da Europa. As comunidades judaicas estabelecidas no Leste Europeu ficaram conhecidas como “Asquenazi” e as que se estabeleceram ao Norte da África (“Sefardins”), migraram para a Península Ibérica. Com o século XV, veio o grande crescimento do cristianismo – que tomava proporções inesperadas –, fazendo com que migrassem para os Países baixos, Bálcãs, Turquia, Palestina e, influenciados pela colonização europeia, chegaram ao continente americano.

Apesar da Diáspora, os judeus sempre buscaram manter os seus costumes religiosos e culturais, independente do território onde se encontravam. Ainda foram bastante perseguidos (vide Segunda Guerra Mundial, onde cerca de 6 milhões de judeus foram exterminados nos cruéis campos de concentração). Após 2000 anos vivendo em domínio estrangeiro e sofrendo com as perseguições, em 1948 a diáspora teve seu fim: com a tomada da Palestina, foi criado o Moderno Estado de Israel. Hoje em dia, estima-se que existam quase 20 milhões de judeus espalhados pelo mundo.


Reportar erro