Diferença entre poderes judiciário, executivo e legislativo

Os poderes do Brasil se dividem em legislativo, executivo e judiciário. Saiba quais são diferenças e suas funções


É muito normal encontrarmos um problema na nossa cidade, país ou estado e culparmos o prefeito, governador ou presidente.

Mas nem tudo está nas mãos desses representantes, pois o poder da política no Brasil se divide em três. É fundamental conhecer cada um desses poderes, quem está à frente deles e quais são suas principais funções.

O Brasil tem uma clássica divisão de poderes: executivo, legislativo e judiciário. Essa repartição existe em diversas partes do mundo desde antes da Revolução Francesa.

diferenca-entre-poderes-judiciario-executivo-e-legislativo

Foto: Pixabay

História da divisão dos poderes

O francês Montesquieu, na obra O Espírito das Leis, consolidou a ideia pensada por Aristóteles e John Locke em dividir os poderes na política.

Essa foi a principal fonte de inspiração da Declaração dos Direitos Humanos e do Cidadão, elaborada em 1789 na Revolução Francesa, quando ficou definitivo a repartição em três poderes e cada função.

Essa ideia inspirou quase todas as democracias representativa modernas. No Brasil os poderes executivo, legislativo e judiciário passaram a existir da maneira como conhecemos hoje, já na primeira constituição republica, no ano de 1891.

Qual a diferença entre executivo, legislativo e judiciário

Poder executivo

No âmbito federal a representação do poder executivo é o presidente da república; no estadual, o governador e no municipal, o prefeito, que são escolhidos de maneira direta através do voto.

Os ministros, secretários e assessores também fazem parte do poder executivo.

As principais tarefas do poder executivo é administrar órgãos públicos que são de serviço da população, como os bancos; governar o país; preservar as relações do país que governa com as outras nações; aplicar as leis; vetar projetos de leis e manter as forças armadas.

Poder legislativo

O poder legislativo é composto pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal. No Estado esse poder é presentado pelos deputados estaduais e nos municípios pelos vereadores, ambos eleitos através do voto direto.

Esse poder é o responsável pela elaboração de leis. Também fazem parte da Comissão de Constituição e Justiça e da Comissão de Finanças e Orçamento, que são os principais responsáveis pela fiscalização dos gastos de projetos, por exemplo.

São também responsáveis pelas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI), que tem como o objetivo julgar e questionar determinadas questões, principalmente envolvendo corrupção.

Também é o poder legislativo o responsável por fiscalizar o Poder Executivo e por votar leis orçamentárias.

Poder judiciário

O poder judiciário é composto pelos tribunais superiores. O de maior destaque e mais importante é o o Supremo Tribunal Federal (STF).

Há ainda outros tribunais superiores mais especializados como o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Existem também os tribunais regionais federais.

Quem trabalha nesses tribunais  e representam o poder judiciário são os juízes e desembargadores, que diferente dos demais poderes não são escolhidos através do voto popular, mas sim nomeados pelo Executivo.


Reportar erro