Divisão silábica

Você sabe como separar as sílabas corretamente? Para fazer isso é preciso saber algumas regras da língua portuguesa. Confira!


Imagine que você está escrevendo uma redação na escola ou em algum processo avaliativo. Entre tantas palavras, uma delas não coube inteiramente na linha que você escrevia. Então, o que se deve fazer? Bom, nesses casos é indicado separar o vocábulo em duas partes, colocando um hífen (-) entre elas.

E logo vem a dúvida: onde colocar? Não se deve separá-las de qualquer maneira. É preciso, portanto, saber as regras de divisão silábica e assim conseguir escrever dentro da norma culta da língua portuguesa. Veja a seguir essas normas e aplique-as em seu cotidiano.

Dividindo as sílabas

Divisão silábica

Imagem: Reprodução/ internet

Para realizar uma divisão correta, é preciso ter em mente, a princípio, que em todas as sílabas deve haver pelo menos uma vogal, sem exceções. Por essa razão, essa norma se torna geral. Conheça agora as regras práticas.

Não se separam

Ditongos e tritongos

Palavras que possuem, respectivamente, duas e três vogais juntas. Na separação silábica elas pertencem a uma mesma sílaba.

Exemplos: cau-le, ân-sia, di-nhei-ro, trei-no, des-mai-a-do, U-ru-guai, sa-guão, Pa-ra-guai, a-ve-ri-guou, quais-quer, etc.

Dígrafos

São encontros consonantais, isto é, duas consoantes juntas, que possuem um mesmo som. Alguns devem ser separados, mas outros não. Esse é o caso do: ch, lh, nh, gu e qu.

Exemplos: chu-va, fa-cha-da, es-ta-nho, fro-nha, a-que-la, co-lhei-ta, fi-lha, ni-nho, quei-jo, etc.

Encontros consonantais com L e R

Quando duas consoantes estão juntas na palavra e a segunda é l ou r, não há a separação delas. Observe:

Exemplosfla-gran-te, gló-ria, pla-no, cla-va, a-pre-sen-tar, a-brir, re-tra-to, re-gra, a-bran-dar, dra-gão, tra-ve, etc.

Nessa regra há uma exceção, lembrem-se dela: ab-rup-to.

Encontros consonantais iniciais

Se a palavra tiver duas sílabas juntas no início, elas não são separáveis. Entenda.

Exemplos: gnós-ti-co, pneu-má-ti-co, mne-mô-ni-co, gno-mo, psi-có-lo-go, pneu-mo-ni-a, etc.

Palavra terminada em consoante

Em nenhuma hipótese uma palavra que termine com consoante terá uma divisão silábica em que a consoante fique isolada no final. Nesse sentido, a última letra se une à anterior.

Exemplos: sub-lin-gual, su-ben-ten-der, en-xá-guam, a-guen-tar, etc.

Separam-se

Ditongo decrescente + vogal

São palavras formadas por três vogais, mas não é a mesma coisa que o tritongo. Nessas palavras, a formação é feita com uma vogal (a, e, o) + semivogal (i,u) + uma outra vogal (a,e,o). Preste atenção!

Exemplos: praia, teia, joia, sa-bo-reie, es-teio, ar-roio, etc.

OBS: A formação do tritongo é diferente, sendo semivogal + vogal + semivogal: Paraguai (“u” e “i” são semi e “a” é vogal).

Hiatos

Quando há um encontro de duas vogais. Diferem-se do ditongo pela forma que são pronunciadas.

Exemplos: saú-de, Saa-ra, cao-olho, due-lo, etc.

Outros dígrafos

Como já dito, dígrafo ocorre quando duas consoantes juntas forma um único som. Nos casos de: rrssscxs, e xc  eles devem ser separados.

Exemplos: bar-ro, as-sun-to, guerra, sosse-go, desçam, cresço, etc.

Encontros consonantais

Com exceção dos casos já citados, onde a segunda consoante é L ou R, nos outros casos a separação ocorre.

Exemplos: de-cepção, abdo-me, subma-ri-no, apti-dão, con-vic-ção, as-tu-to, ap-to, cír-cu-lo, ritmo, etc.

Vogais idênticas

aa, ee, ii, oo, uu e os grupos consonantais cc, cç, também são separados.

Exemplos: Saa-ra, com-preen-do, xii-ta, voo, pa-ra-cu-u-ba; occi-pi-tal, in-feccão, etc.

 

*Revisado por Débora Silva, graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Informar erro