Dogmatismo

O dogmatismo possui duas percepções, uma apresentada e defendida pela religião e a outra pela filosofia. Entenda!


Você já deve ter ouvido falar muito sobre dogmas, principalmente se você pertence e obedece as doutrinas defendidas pela igreja católica. Mas, você sabe o que essa palavra quer dizer? Na verdade, o dogmatismo possui duas percepções, uma apresentada e defendida pela religião e a outra pela filosofia. “Dogma”, em latim, significa “opinião filosófica”, enquanto em grego diz respeito a “opinião, princípio”. Porém, por mais diferentes que sejam essas tendências, ambas tratam as ideias como verdades absolutas e inquestionáveis.

Na teologia, os dogmas são um conjunto de pensamentos e preceitos, que ao pronunciados e defendidos pela igreja, adquirem um caráter incontestável. Já no estudo filosófico, essa linha de pensamento se configura em um objetivo teórico, que é corrente a diversas doutrinas filosóficas e considera todo o entendimento humano apto à obtenção de verdades absolutamente certas e seguras. Essas linhas de pensamento serão aprofundadas neste artigo para facilitar o entendimento delas.

O dogmatismo na religião

Nessa etapa do estudo, é importante frisar que o dogmatismo é totalmente oposto ao ceticismo. Esse último é também um pensamento que difere completamente das doutrinas das religiões. Nessa linha de pensamento, acredita-se que tudo o que é dito e estabelecido pelo catolicismo é tipo como verdade absoluta e por essa não pode ser questionada.

Dogmatismo

Foto: Reprodução/ internet

Um exemplo de dogma presente na igreja foi o “Redenção Universal”, no qual os fieis acreditam que Jesus morreu para salvar todos dos seus respectivos pecados. Mais tarde surgiu um novo princípio que fez com que esse primeiro fosse questionado. Chamado de Imaculada Conceição de Maria, esse dogma foi proclamado pelo papa Pio IX, na bula “Ineffabilis Deus”, no ano de 1854. De acordo com ele, a Maria foi conferido o título de mulher pura e sem pecado desde o seu nascimento, sendo assim, Cristo não teria morrido por todos. Entretanto, o filósofo e beato Duns Scotus conseguiu promover a conciliação dessas duas ideias. Segundo ele, Maria foi redimida anteriormente a fim de estar apta para ser a mãe de Jesus. Por fim, vale ressaltar que os religiosos acreditam sem questionar nas verdades impostas pelas igrejas.

O dogmatismo na filosofia

Essa linha de pensamento chamada de dogmatismo é submissa e autoritária ao mesmo tempo. As pessoas que nela acreditam se sujeitam as verdades absolutas, sem questioná-las. Simultaneamente, não aceitam indagações contrárias de terceiros, tentando assim impor esses pensamentos aos outros.  Do ponto de vista da filosofia, dois grandes pensadores se colocam a favor dessa perspectiva.

Para Immanuel Kant, “toda atitude de conhecimento que consiste em acreditar na posse da certeza ou da verdade antes de fazer a crítica da faculdade de conhecer” se configura como dogmatismo e o filósofo ainda acreditava nessa ideia. Do mesmo modo, a tradição marxista, provinda do pensador Karl Marx confere a ideia de dogma à tendência a se separar as teorias da prática e da análise concreta.

Apesar desses dois teóricos se aprofundarem nesse assunto, outros filósofos na antiguidade também tinham seus pensamentos considerados dogmáticos, à exemplo de Parmênides, Platão e Aristóteles.


Reportar erro