Economia do Japão

Veja detalhes da economia do Japão, incluindo sua moeda (yene), e os setores (agrícola e industrial) que mais geram riqueza para o país asiático


O Japão é um país situado no extremo oriente que não faz fronteira com nenhuma outra nação, sendo rodeado pelo oceano pacífico e pelo mar do Japão. Sua moeda corrente é o yene e possui um território pequeno, com grandes indústrias o que deixa pouco espaço para a prática de agricultura no país, tornando-o dependente de países vizinhos na importação de matéria-prima e produtos agrícolas. Contudo esse aspecto não impediu que o país se tornasse extremamente desenvolvido alcançando o posto de terceira maior economia do mundo e em meio à crise se mantém no 9º lugar no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial.

Economia do Japão

Foto: Reprodução

O Japão teve seu ápice no avanço econômico logo após a Segunda Guerra Mundial quando recebeu ajuda de outros países em forma de capital, principalmente dos Estados Unidos, e passou a investir em indústria e tecnologia tornando-se uma potência mundial em meados da década de 1970. Outro fator que contribui para o constante desenvolvimento da economia japonesa é sua infraestrutura bastante desenvolvida com rodovias, portos, geração de energia incluindo usinas nucleares que produzem cerca de um quarto da energia consumida no país. O fato de abrigar grandes indústrias e ser um forte nome no mercado concessionário também impulsiona seu desenvolvimento.

O mercado interno japonês é bastante desenvolvido devido ao grande poder aquisitivo da população, resultado de seus altos salários, contudo as importações mantêm-se altas por conta da necessidade de matéria prima vinda de outros países (cerca de 90 % de toda matéria prima usada no país) e de produtos agrícolas.

Atividades da economia do Japão

Indústrias

O Japão é um país altamente industrializado com grandes multinacionais de importante papel na economia mundial. O maior parque industrial do país é formado pelas cidades de Tóquio, Osaka e Nagoya formando uma imensa megalópole situada no litoral da ilha de Honshu. O país possui também reservas pequenas de zinco, cobre, chumbo e carvão mineral, mas a maior parte de sua energia é proveniente das usinas nucleares.

Agricultura

A agricultura do país é altamente protegida e subsidiada com regulamentos que favorecem o plantio em pequena escala ao invés da produção em larga escala como acontece em países como Brasil, Canadá entre outros. Um dos cultivos mais importantes para o Japão é o arroz. Devido ao seu relevo foram desenvolvidos terraços para o cultivo do grão em suas encostas e apesar do país ter uma ótima produção do grão para o consumo interno (com exceção do arroz usado para os famosos bolinhos e arroz e alimentos processados), importa cerca de 50 % de sua demanda de outros países além de parte da carne que consome. Todo esse percentual de importação faz com que o Japão seja o maior consumidor de produtos agrícolas da União Europeia.

Outros cultivos como pera e laranja são produzidos nas regiões de Shikoku e Kyushu, tendo sido introduzidas por comerciantes holandeses no final do século XVIII. A produção de maçã fica por parte de Tohoku e Hokkaido.


Reportar erro