El Niño

Fenômeno físico conhecido pelo superaquecimento das águas do pacífico e pela redução dos ventos alísios da região equatorial, o El Niño foi descoberto por…


Fenômeno físico conhecido pelo superaquecimento das águas do pacífico e pela redução dos ventos alísios da região equatorial, o El Niño foi descoberto por pescadores que perceberam que em determinada época do ano a pesca era reduzida. Porém, foi só em 1997 que o fenômeno foi estudado – período marcado por seus maiores e mais drásticos efeitos.

El Niño

Foto: Reprodução

A origem do nome se deu no Peru – região que é mais afetada – e significa “Menino Jesus” (ou “Niño Jesus”, em espanhol), isto porque é recorrente em dezembro, época próxima ao Natal e ao nascimento do menino Jesus para os cristãos.

O fenômeno, que ocorre há mais de 500 anos com variação de um a dez anos entre as ocorrências, embora não tenha origens definidas, está relacionado aos ciclos solares, erupções vulcânicas, acúmulo de água quente no Oceano Pacífico e a queda de temperatura na Ásia.

Características do El Niño

  • Afeta e altera o clima a nível mundial;
  • Muda as correntes atmosféricas;
  • Enfraquece ventos alísios da região equatorial, que são os ventos que sopram de leste para oeste, como consequência da mudança da corrente atmosférica, muitas chuvas e secas terríveis são geradas em todo o globo, além de quedas repentinas de temperatura.
  • Resfria a superfície litorânea do Peru, empurrando a água quente para a direção contrária, ação que inverta a temperatura das regiões;
  • Com o aumento da temperatura da água, a evaporação é acelerada, ação que resulta em chuvas;
  • Altera a quantidade e intensidade das chuvas;
  • Gera seca;
  • Atrapalha a atividade pesqueira;
  • Causa danos à produção agrícola;
  • Altera distribuição de calor e de umidade.

Regiões afetadas

El Niño

Foto: Reprodução

 

Na Austrália, Ilhas do Pacífico e países do Sudeste asiático como Indonésia e Índia, os verões tendem a ficam mais secos com a ocorrência do fenômeno. Já na América do Sul e na América do Norte, a temperatura no verão sobe, ação que aumenta a chuvas e, consequentemente, as enchentes. No Peru, Chile e Canadá nota-se o aquecimento da água e a diminuição da pesca.

Impactos no Brasil

  • Queimadas no Nordeste causadas pelas secas;
  • Abundância de chuvas no Sul e Centro-Oeste;
  • Aumento da temperatura no Sul e Sudeste.

Curiosidade

O El Niño mais devastador foi registrado entre 1982 e 1983, quando a água subiu de temperatura em 6°C. Os efeitos foram catastróficos em todo o globo, com enchentes nos Estados Unidos, secas na Indonésia, Austrália, Índia e África, incêndios nos países da Oceania e alteração brusca da pesca no Peru.


Reportar erro