Funções e uso da palavra “que”

Confira as funções e usos da palavra “que” e os significados que ela pode adicionar às orações, enriquecendo a gramática do português


A língua portuguesa possui um riquíssimo vocabulário e é uma das mais difíceis de aprender como um segundo idioma, por isso, com tantas palavras, expressões que recebem diferentes significados é comum o surgimento de algumas dúvidas quanto ao seu emprego, função e concordância na frase. Uma dúvida comum sobre a gramática portuguesa é o emprego da palavra “que” e os seus mais diversos significados, como ela pode ser empregada e que sentido pode dar a frase de acordo com o contexto em que se encontra.

Funções e uso da palavra "que"

Imagem: Reprodução

O “que” pode fazer a vez de substantivo, pronome adjetivo, pronome interrogativo, pronome relativo, preposição, advérbio de modo e de intensidade, partícula expletiva e interativa, interjeição, conjunção coordenativa e subordinada. Veja abaixo exemplos de cada uma de suas funções.

Funções e uso da palavra “que”

Substantivo

Para que seja empregado como substantivo a palavra “que” necessita do acompanhamento de um artigo indefinido (um) ou de uma preposição (de) além de receber a acentuação. Ela terá o sentido de “qualquer coisa” ou “alguma coisa”. Confira no exemplo:

Os protestos no Brasil tiveram um quê de violência.

Pronome Adjetivo

Neste caso o “que” poderá ser empregado como indefinido, interrogativo ou exclamativo. Confira os exemplos:

Que show maravilhoso! – exclamativo

Que horas, por favor? – interrogativo

Que coisa horrível este incidente. – indefinido

Pronome Relativo

Quando a palavra “que” puder ser substituída por “o qual”, “a qual”, “os quais” ou “as quais” ela terá a função de pronome relativo. Veja o exemplo:

Peguei o livro que – o qual  estava na última prateleira da biblioteca.

É lindo o vestido que – o qual – eu usei ontem no jantar.

Preposição

Sempre que o “que” for equivalente ao “de” terá a função de preposição, em locuções adverbiais como auxiliar de ‘”ter” ou “haver”. Veja o exemplo abaixo:

Ela teve que levar todos os livros.

Todo o material terá que ser reutilizado.

Advérbio de modo e intensidade

Como advérbio de modo o “que” pode ser substituído por “como”. Exemplo:

Que prato mal feito era aquele! (Como aquele prato era mal feito!)

Como advérbio de intensidade a palavra pode ser substituída por “quão” ou “muito”. Exemplo:

Que feias eram aquelas ruas!  (Quão feias eram aquelas ruas!)

Que estranha a roupa dela. (Muito estranha a roupa dela.)

Partícula expletiva e interativa

Como partícula expletiva não possui função na oração, serve apenas para ressaltar algo citado. Confira o exemplo:

Há dias que não o vejo.

Como partícula interativa o “que” sofre a repetição para dar ênfase à frase. Exemplo:

Que coisa que ele fez!

Que roupas lindas que ela comprou!

Conjunção Coordenativa

– Aditiva

Anda que anda e não chega a lugar algum.

– Alternativa

Que fossem ou que não fosse, eu estaria lá.

– Adversativa

Pode andar o quanto quiser que não vai  à lugar algum.

– Explicativa

Eles não podem ir até lá, que é muito perigoso.

Conjunção Subordinativa

– Integrante

Aparecendo sempre no início de uma oração subordinada substantiva e sem função sintática.

Havia dito que estaria lá, mas não estava.

– Comparativa

Aparecendo sempre no início de uma oração subordinada adverbial comparativa.

Não há nada melhor que comer chocolate com os amigos!

– Causal

Aparecendo sempre no início de uma oração subordinada adverbial causal.

É melhor prestar atenção, que este trecho é muito perigoso.

– Concessiva

Neste caso o “que” expressa uma concessão, ou seja,  uma exceção às regras.

Gosto de morangos, que estejam pouco maduros.

– Consecutiva

O “que” expressa uma consequência do que acaba de ser afirmado.

É tão grande que mal passa na porta.


Reportar erro